Tribunal de Haia recebe denúncia contra Bolsonaro por atuação na pandemia

Presidente é acusado de genocídio por suas ações a frente do combate do coronavírus no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2020 06h02 - Atualizado em 27/07/2020 06h08
Francisco Stuckert/Estadão Conteúdo Presidente Jair Bolsonaro é acusado de genocídio ao Tribunal Penal Internacional de Haia

O Tribunal Penal Internacional de Haia recebeu uma denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro por sua atuação no combate à pandemia de coronavírus no Brasil. Uma coalizão de mais de 60 sindicatos e movimentos sociais acusou o presidente de genocídio, afirmando que ele praticou crime contra a humanidade ao incentivar ações que aumentam o risco de transmissão da Covid-19 e se recusar a implementar políticas de proteção para minorias contra o vírus.

No documento entregue ao Tribunal de Haia, os profissionais de saúde apontam que desde o início da crise sanitária Bolsonaro provocou diversas aglomerações, apareceu sem máscara e desprezou a gravidade do coronavírus, que chamou de “gripezinha”. “Essa atitude de menosprezo, descaso, negacionismo, trouxe consequências desastrosas, com consequente crescimento da disseminação, total estrangulamento dos serviços de saúde, que se viu sem as mínimas condições de prestar assistência às populações, advindo disso, mortes sem mais controles”, descreve o documento. O presidente também é acusado de promover o uso da cloroquina no tratamento de pacientes de Covid-19, apesar da falta de estudos sobre os resultados de seu uso.

Jair Bolsonaro soma três acusações perante o Tribunal Internacional de Haia por negligência no combate de coronavírus no país, das quais uma o acusa de ameaça de genocídio à população indígena do país durante a pandemia.