Vereadores confirmam aumento de 46% no salário de Covas

Reajuste já havia sido aprovado em sessão na segunda-feira; prefeito irá receber R$ 35.462 por mês a partir de janeiro de 2022

  • Por Jovem Pan
  • 23/12/2020 15h44 - Atualizado em 23/12/2020 15h54
PAULO GUERETA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 29/11/2020O prefeito eleito Bruno Covas (PSDB) logo após registrar o seu voto no segundo turno das eleições municipais de 2020

A Câmara de Vereadores de São Paulo aprovou nesta terça-feira, 23, o reajuste de 46% do salário do prefeito Bruno Covas (PSDB), além do aumento dos vencimentos do vice e secretários municipais. A mudança foi acatada por 34 vereadores, enquanto 17 se posicionaram contrários e um se absteve. O texto segue para aprovação do próprio prefeito. O salário de Covas saltará dos atuais R$ 24.175,55 para R$ 35.462, enquanto o vice Ricardo Nunes (MDB) passará dos atuais 21.700 para 31.915,80, alta de 47%. Já o secretariado terá um aumento de 55%, passando de R$ 19.340,40 para R$ 30.142,70. Os novos pagamentos serão feitos a partir de janeiro de 2022. O salário do prefeito é o teto do funcionalismo do Executivo da capital paulista, e o novo valor deve gerar um efeito cascata puxando outros vencimentos da máquina pública para cima.

O aumento do salário de Covas e seus auxiliares já havia sido aprovada na sessão desta segunda-feira, 21, e precisava passar pelo segundo crivo dos legisladores. Em nota, a presidência da Câmara afirmou que a correção salarial está em patamar abaixo da inflação acumulada desde a última correção, em 2012. “[…] a inflação acumulada chega a 63,11% pelo IPCA e 100,41% pelo IGP. Importante ressaltar ainda que a correção valerá apenas a partir de janeiro de 2022.” Além do aumento da folha salarial, a Câmara de Vereadores aprovou a Lei Orçamentária Anual (LOA) do município para 2021, com receita estimada em R$ 67,96 bilhões. O valor é 1,93% abaixo na comparação com o orçamento de 2020, impacto pela pandemia do novo coronavírus.