Instituto Butantan vai iniciar 2021 com 10,8 milhões de doses da CoronaVac

Número inclui doses prontas para aplicação e outras que serão envasadas com insumos da China

  • Por Jovem Pan
  • 21/12/2020 13h24 - Atualizado em 21/12/2020 13h27
SUAMY BEYDOUN/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOEm relação as últimas quatro semanas epidemiológicas, o aumento foi de 54% nos casos, 34% nos óbitos e 13% nas internações

O governo do Estado de São Paulo anunciou, nesta segunda-feira, 21, que, no próximo dia 24 de dezembro, vai receber mais 5,5 milhões de doses da vacina do Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac. De acordo com o governador João Doria, a matéria prima representa o maior lote já desembarcado no Brasil e na América do Sul. Até então, o maior lote recebido foi na sexta-feira, 18, quando 2 milhões do doses da CoronaVac chegaram em São Paulo. Somadas, as doses somam 8,8 milhões de doses armazenadas. Mais dois carregamentos chegam ainda em 2020: um de 400 mil, no dia 28 de dezembro, e outro de 1,6 milhão, no dia 30 de dezembro. Com isso, serão 10,8 milhões de doses da CoronaVac à espera do dia 25 de janeiro para início da vacinação.

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, fez um balanço sobre o ano e comemorou a vacina do Butantan — apesar da negativa de muitas pessoas. “O Butantan nunca foi tão desafiado na sua história”, disse. Covas ainda anunciou que, em breve, o Instituto pode iniciar um estudo clínico no Brasil na área de tratamento da Covid-19 com um soro altamente potente. Dimas Covas também destacou que o cronograma da vacina está mantido e, na próxima quarta-feira, 23, será divulgada a recomendação final e apresentação dos dados pelo Comitê Internacional. O estudo clínico foi encerrado com mais de 13 mil participantes. São Paulo registrou, nessa última semana, uma alta de 3% no número de casos e 6% no número de óbitos. Apesar disso, o número de internados caiu 1%. Em relação as últimas quatro semanas epidemiológicas, o aumento foi de 54% nos casos, 34% nos óbitos e 13% nas internações.

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou também que está adicionando mais 100 milhões de seringas e 100 milhões de agulhas no estoque para vacinação contra a Covid-19. “Iniciamos o processo de compra do material para aplicação da CoronaVac, adicional ao estoque já disponível. Estamos ampliando o estoque para ter a convicção de que nenhum insumo vai faltar na vacinação que começa no dia 25 de janeiro. As seringas e agulhas, assim como os EPIs, serão distribuídos nos 645 municípios”, disse. O Estado tem, nesta segunda, 1.388.043 casos confirmados e 45.136 óbitos. A taxa de ocupação das UTIs está em 61,8% no Estado e em 66,8% na Grande São Paulo.