Chanceleres de Seul, Tóquio e Pequim se reúnem hoje pela 1ª vez em 3 anos

  • Por Agencia EFE
  • 21/03/2015 02h53

Seul, 21 mar (EFE).- Os ministros das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Japão e China realizam neste sábado em Seul seu primeiro encontro trilateral em quase três anos com a esperança de melhorar o ambiente na região devido a diferenças históricas e territoriais.

O principal objeto do encontro é conseguir que o chanceler sul-coreano, Yun Byung-se, o japonês, Fumio Kishida, e o chinês, Wang Yi, consigam aproximar posturas e preparar o terreno para uma cúpula de chefes de governo trilateral, o que não ocorre desde maio de 2012 devido a um distanciamento progressivo.

No entanto, muitos analistas se mostram de acordo em que dificilmente a presidente sul-coreana, Park Geun-hye, e o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, aceitarão reunir-se em curto prazo com o chefe de governo japonês, Shinzo Abe, considerado por Seul e Pequim como um político com metas revisionistas.

O encontro acontece ainda em um momento delicado já que em breve se lembrará o 70º aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial e do fim do domínio colonial japonês sobre seus dois vizinhos.

De fato, Pequim já advertiu que não porá data para uma cúpula até comprovar o conteúdo de uma declaração que a Administração Abe prepara para o 70º aniversário do fim da disputa.

Os governos chinês e sul-coreano temem que o Executivo conservador de Tóquio emita um texto que busque diluir os crimes e responsabilidades do Exército Imperial japonês durante o período colonial.

A relação de Tóquio com seus vizinhos também se viu afetada nos últimos três anos por uma intensificação das disputas territoriais que mantêm em torno das ilhas Dokdo/Takesima com Seul e as Senkaku/Diaoyu com Pequim. EFE