Atividades na construção civil sobem em agosto e impulsionam confiança dos empresários

Utilização da capacidade operacional recuperou patamar pré-crise, enquanto produção e empregabilidade mantêm trajetória de alta, apontou levantamento da CNI

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2020 10h01
Arquivo/Agência BrasilIndício de recuperação econômica impulsionou confiança dos empresários pelo quinto mês consecutivo

A indústria da construção civil manteve a melhora nos índices na passagem de julho para a agosto, impulsionada pelo retorno do nível de utilização da capacidade operacional (UCO) ao patamar pré-crise do novo coronavírus, e pela consolidação da trajetória de recuperação do índice de produção e do número de empregados. Segundo dados divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta quarta-feira, 23, a UCO chegou a 60% em agosto, 2 pontos percentuais a mais que o registrado em julho e também no mesmo mês de 2019. O nível é o mesmo alcançado em agosto de 2018 e supera o percentual para o mês registrado entre 2015 e 2017. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI – Construção) cresceu pelo 5º mês consecutivo e atingiu 56,7 pontos em agosto, 2,7 pontos a mais do que o mês anterior. O distanciamento da marca dos 50 pontos indica o aumento da confiança dos empresários no setor.

O aumento das expectativas é baseado na continuidade de avanço dos níveis de atividade e empregabilidade na indústria, após a queda histórica das atividades econômicas em abril durante a pandemia da Covid-19. O índice de evolução do nível de atividade registrou 51,4 pontos em agosto, alta de 3,3 pontos frente a julho. O índice é o maior desde junho de 2011, o que revela melhora significativa do nível e atividade na comparação com o mês anterior. Ao se situar acima da linha divisória de 50 pontos, o indicador aponta para aumento da atividade no mês. O índice de evolução do número de empregados aumentou 2,7 pontos, para 49,5 pontos, e está praticamente sobre a linha divisória.

O otimismo dos empresários também manteve viés de alta com os indícios de recuperação econômica. Os indicadores de expectativas do nível de atividade e de novos empreendimentos e serviços registraram 56,1 e 55,5 pontos, respectivamente, após crescimento de 1,8 e 2,3 pontos, respectivamente. Os indicadores de expectativas de compras de insumos e matérias-primas e números de empregados, por sua vez, alcançaram 55,6 e 54,1 pontos, após altas de 2,8 e 1,8 pontos, respectivamente. Nesta terça, 22, a CNI divulgou o crescimento da atividade industrial aos níveis pré-crise. Segundo os dados coletados no setor, a utilização da capacidade instalada (UCI) chegou a 71% em agosto e colocou a atividade industrial brasileira nos níveis anteriores à recessão econômica causada pela pandemia da Covid-19. A UCI do mês passado supera a de agosto de 2019 em 2 pontos percentuais e é a maior para o mês desde a crise iniciada em 2014, quando registrou pico de 72%. Já o nível de evolução produtiva alcançou 58,7 pontos em agosto, ante 59,4 em julho e 52,8 em junho. O indicador varia de 0 a 100, e valores acima de 50 pontos indicam expectativa de crescimento.