Banco Central pede ao Ministério da Economia reajuste salarial de 22% para funcionários, mas volta atrás

Instituição financeira lida com greve de colaboradores, que querem 27% de aumento e reestruturação de carreiras

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2022 18h23 - Atualizado em 12/05/2022 18h26
Antônio Cruz/Agência Brasil Fontes do Banco Central estimam novo avanço do IPCA, na quarta semana seguida de revisão para cima Autarquia disse ter cancelado minuta devido a 'inconsistências no texto'

O Banco Central (BC) encaminhou nesta quinta, 12, uma minuta ao Ministério da Economia solicitando um reajuste salarial de 22% para analistas e técnicos da instituição, que tem tido problemas devido a uma greve iniciada em 1º de abril. Pouco depois, no entanto, a autarquia retirou a minuta do Sistema de Geração e Tramitação de Documentos Oficiais do Governo Federal (Sidof) – segundo o Banco, devido a ‘inconsistências no texto’. Na minuta, o BC pedia também a exigência de cursos de nível superior para o ingresso no cargo de técnico, a alteração no nome do cargo de analista para auditor, propunha a criação de um bônus por produtividade, de uma taxa de supervisão e nova tabela remuneratória para funcionários celetistas reintegrados. Até agora, o governo federal indicou um aumento de 5% para os servidores de todas as categorias, o que causou grande insatisfação; os funcionários do BC, em paralisação, pedem reajuste de 27% e reestruturação de carreiras.