Bolsas de valores caem e dólar sobe pouco após ameaças de Trump

  • Por Jovem Pan
  • 06/05/2019 19h05
Nilson Fukuda/Estadão Conteúdo postagem feita no Twitter provocou uma reação nos mercados da Ásia, onde todas as bolsas de valores caíram

As ameaças do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de elevar as tarifas comerciais dos produtos chineses causaram tensões no mercado financeiro global. A postagem feita no Twitter provocou uma reação nos mercados da Ásia, onde todas as bolsas de valores caíram. A bolsa de Xangai, na China, teve a maior queda diária em mais de três anos, recuando 5,58%. Apenas as bolsas de Tóquio (Japão) e Seul (Coreia do Sul) não caíram, porque não operaram devido a feriados locais.

Depois de iniciar o dia próximo a R$ 3,98, a moeda norte-americana aliviou a alta e fechou próxima da estabilidade. O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (6) vendido a R$ 3,958, com alta de R$ 0,019 (0,48%).

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), operou em queda durante toda a sessão. O indicador fechou com desvalorização de 1,04%, aos 95.009 pontos. O índice encerrou no menor nível desde 22 de abril, há duas semanas.

No Brasil, os investidores aguardam a abertura dos trabalhados da comissão especial que discute a reforma da Previdência, marcada para esta terça-feira (7) e a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que define os juros básicos da economia. O Copom começa a reunir-se amanhã e divulgará o valor da taxa Selic na quarta-feira (8).

Sobre as ameças

O presidente Donald Trump anunciou em sua página do Twitter neste domingo (5) que pretende elevar as taxas de 10% para 25% para cerca de US$ 200 bilhões em mercadorias vindas da China. Além disso, ele ameaçou tarifar “em breve” em 25% o equivalente a US$ 325 bilhões em outros produtos da China e reclamou do andamento lento das negociações de comércio bilaterais.

* Com informações da Agência Brasil