Cotado a R$ 3,4769, dólar fecha em queda após 5 sessões de alta

  • Por Estadão Conteúdo
  • 26/04/2018 18h27
Fotos PúblicasEm dia bastante volátil, moeda chegou a superar a marca dos R$ 3,50, mas fechou o dia cotada a R$ 3,4769

O pregão desta quinta-feira (26) do dólar foi marcado pela volatilidade. Até o meio da tarde, a moeda subia e inclusive voltou a superar os R$ 3,50 (chegou a R$ 3,5073, em alta de 0,61%). Mas o movimento foi perdendo força até virar para a queda mais para o fim do pregão: o dólar acabou o dia a R$ 3,4769, em baixa de 0,26%, mais perto da mínima do dia, de R$ 3,4754 (-0,31%). Foi a primeira queda após cinco sessões de alta. O giro foi de US$ 1,8 bilhão.

À tarde, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, voltou a afirmar que está monitorando o comportamento do câmbio e que não permitirá uma “dinâmica perversa”. Ele disse ainda que a autoridade monetária suavizará o movimento na taxa cambial quando for necessário e que tem reservas e swaps à disposição.

Conforme operadores, a sessão de hoje foi marcada pela volatilidade por conta de várias preocupações em relação ao cenários externo – notadamente a economia americana – e interno – eleições e a paralisia do governo.

“As altas das últimas semanas levaram o dólar a um novo patamar em relação ao real, e agora as moedas estão à procura de uma cotação de equilíbrio”, afirma Alessandro Faganello, da mesa de câmbio da Corretora Advanced.

Ele lembra que o mercado também tem acompanhado com atenção as declarações de Goldfajn. “O BC está falando, mas por enquanto não tá agindo. O mercado tem expectativa que ele atue se o dólar escapar muito. Há um ano e meio ele fez isso quando o dólar oscilava entre R$ 3,54 – R$ 3,55”, afirmou. Faganello diz que, apesar da volatilidade, o pregão de hoje foi mais “calmo”. “A moeda oscilou bastante, mas não teve aquela alta mais brusca como a de ontem, que deixou todo mundo nervoso”, diz.