Dólar cai com a manutenção de estímulos monetários nos EUA; Ibovespa avança

Banco Central norte-americano segura os juros em patamares mínimos e mantém a compra de títulos públicos

  • Por Jovem Pan
  • 28/07/2021 18h06
Adriana Toffetti/Estadão ConteúdoDólar recua neste início de semana com a sinalização de harmonia entre os Poderes

Os principais indicadores do mercado financeiro brasileiro fecharam no campo positivo nesta quarta-feira, 28, com a decisão do Federal Reserve (Fed) em manter a política de estímulos monetários. O Banco Central dos Estados Unidos informou que a taxa de juros permanecerá inalterada entre 0% e 0,25%, e que a compra de US$ 120 bilhões por mês em títulos será mantida em meio ao processo de recuperação da economia. O dólar aprofundou a queda registrada desde o início do dia e encerrou com recuo de 1,31%, a R$ 5,110. A divisa chegou a bater a máxima de R$ 5,193, enquanto a mínima não passou de R$ 5,106. O câmbio fechou a véspera praticamente estável, com leve alta de 0,06%, a R$ 5,178. Impulsionado pelos resultados positivos da temporada de balanços corporativos, o Ibovespa, referência da Bolsa de Valores brasileira, encerrou com alta de 1,34%, aos 126.285 pontos. O pregão desta terça-feira, 27, encerrou com queda de 1,1%, aos 124.612 pontos.

Em decisão unânime, os membros do Fed votaram pela manutenção da taxa de juros próxima de zero, como já era aguardado pelos analistas do mercado. A autoridade monetária informou que a economia continua em processo de recuperação, apesar das preocupações geradas pelo novo coronavírus. O BC dos EUA voltou a afirmar que o avanço da inflação é temporário e que o índice recuará a partir da normalização da cadeia produtiva. “Os setores mais afetados pela pandemia mostraram melhorias, mas não se recuperaram totalmente. A inflação aumentou, refletindo em grande parte fatores transitórios. As condições financeiras gerais permanecem acomodatícias, em parte refletindo medidas de política para apoiar a economia e o fluxo de crédito para famílias e empresas dos EUA”, informou. O Federal Reserve também manteve a compra de US$ 120 bilhões em títulos públicos e afirmou que irá acompanhar o impacto da medida nas próximas reuniões. “Essas compras de ativos ajudam a promover o funcionamento regular do mercado e condições financeiras acomodatícias, apoiando assim o fluxo de crédito para famílias e empresas.”