Ibovespa cai 0,96% e volta a ficar abaixo dos 100 mil pontos; dólar fecha em queda, cotado a R$ 5,19

Bolsas internacionais também caíram; cenário no Brasil foi agravado por questões fiscais

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2022 19h01 - Atualizado em 29/06/2022 19h02
Pixabay Ibovespa, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira fecha fevereiro com queda de 4,37%. Em 2021, tombo é de 7,54% Humor internacional esteve ruim por temores de mais altas de juros

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, apresentou queda de 0,96% nesta quarta, 29, e voltou a ficar abaixo da marca de 100 mil pontos. O índice fechou o dia em 99.622 pontos, puxado para baixo por temores fiscais devido à tramitação no Senado de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) com benefícios sociais que teria um custo de R$ 38,7 bilhões e ficaria fora do teto de gastos. Outra razão foi o mau humor nos mercados globais, temerosos de uma recessão global após várias autoridades de diferentes países defenderem uma subida nas taxas de juros para conter a inflação e a divulgação de uma revisão no Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no primeiro trimestre, que teria tido uma queda de 1,6% no acumulado de 12 meses, e não de 1,5%, como calculado anteriormente. O dólar fechou o dia em queda de 1,39%, cotado a R$ 5,19, depois de alcançar o maior patamar em quase cinco meses na terça, 28, quando valia R$ 5,26. A possibilidade de uma recessão nos Estados Unidos foi um dos fatores, enquanto outros foram questões técnicas  – após a moeda fazer um movimento expressivo em uma direção, é normal que faça um ajuste na direção oposta.