Ibovespa fecha sexta em alta e tem terceira semana consecutiva de ganhos; dólar cai para R$ 5,16

Alta na Bolsa de Valores de São Paulo foi puxada por Vale e Petrobras; dados de emprego nos Estados Unidos influenciam

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2022 19h00
Dudu Macedo/Estadão Conteúdo Nota de dólar embaixo de cinco moedas de real Dólar teve queda de 0,14% no acumulado da semana

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, teve alta de 0,55% nesta sexta, 5, e fechou o dia com 106.471 pontos, nível 3,19% acima do que estava no começo da semana. A principal influência para a subida foram os dados de empregos nos Estados Unidos, que indicaram a criação de 528 mil vagas em julho, número acima do esperado e que apontam que a economia norte-americana segue aquecida. O saldo positivo beneficiou os preços das commodities, o que ajudou o Ibovespa. Tanto as ações da Vale, que subiram 1,30%, quanto as ordinárias e extraordinárias da Petrobras (elevações de 1,74% e 1,93%, respectivamente) avançaram, beneficiadas pela valorização do minério de ferro e do petróleo. Em Nova York, S&P 500 e Nasdaq caíram, respectivamente, 0,16% e 0,50%. Dow Jones, no entanto, conseguiu fechar no verde, subindo 0,21%.

A movimentação em torno das commodities também beneficiou o real frente ao dólar: a moeda norte-americana parecia que ia subir nas primeiras horas do dia, mas terminou o pregão com baixa de 1,05%, cotada a R$ 5,16. Na semana, o dólar acumulou queda de 0,14%. O câmbio foi afetado por um fluxo de dinheiro através das Bolsas, além de uma diminuição na expectativa de juros futuros no Brasil. Na última quarta, 3, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) elevou a taxa de juros Selic em 0,5 ponto percentual, para 13,75% ao ano, mas indicou que o ciclo de altas pode estar próximo do fim, o que atraiu recursos ao país. O movimento do real foi atípico: o dólar se fortaleceu ante outras 27 moedas nesta sexta, tanto de países desenvolvidos como de emergentes.