Mercado financeiro prevê dólar mais fraco neste ano e Selic acima de 3% em 2021

Boletim Focus ainda manteve queda do PIB em 4,4% em 2020, ante avanço de 3,49% no próximo ano; estimativa para inflação neste ano estaciona em 4,39% após 19 semanas consecutivas de revisões para cima

  • Por Jovem Pan
  • 28/12/2020 10h39
Agência BrasilDólar recua em meio ao alívio dos investidores com o risco de crise gerada pela empreiteira chinesa Evergrande

Analistas do mercado financeiro revisaram a projeção para o dólar neste ano e estimam que a divisa norte-americana feche 2020 a R$ 5,14, segundo informações publicadas no Boletim Focus nesta segunda-feira, 28. Há uma semana, a expectativa era que o câmbio ficasse em R$ 5,15, porém, um mês atrás as previsões dos economistas e entidades consultadas pelo Banco Central indicavam câmbio na casa dos R$ 5,36. O documento também traz novas análises para a Selic em 2021. Agora, o mercado financeiro espera que a taxa básica de juros da economia brasileira suba para 3,13% ao fim do próximo ano, ante projeção de 3% das últimas semanas. Atualmente, a Selic está em 2% ao ano, o menor patamar da história. Na última revisão do ano, o Comitê de Polícias Monetárias (Copom) sinalizou que pode dar fim à política de juros baixos no próximo ano.

No último Focus deste ano, os economistas mantiveram a projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB) para 4,4% em 2020, a mesma da última semana. Um mês atrás a previsão era tombo de 4,5%. Para 2021, os analistas revisaram positivamente para avanço de 3,49%, ante estimativa de 3,46% na semana passada, e 3,45% há um mês. O Focus também mostra que o mercado financeiro estima o IPCA encerre o ano a 4,39%, o mesmo valor apresentado na semana passada. A manutenção da previsão encerra o ciclo de 19 semanas seguidas de revisões para cima do índice oficial da inflação brasileira. Há um mês, as projeções apontavam para alta de 3,54%. Para o próximo ano, a previsão do IPCA reduziu para 3,34%, ante 3,37% há uma semana, e 3,47% um mês atrás.