Mercado sobe a previsão da inflação para 7,65% em 2022, diz Focus

Relatório ficou um mês sem ser divulgado em virtude da greve de servidores do BC; é a 15ª elevação seguida do índice

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2022 11h42 - Atualizado em 26/04/2022 12h13
Adriano Machado/Reuters Homem passa em frente ao prédio do Banco Central em Brasília Greve de servidores provocou paralisação em serviços do Banco Central, como a publicação de relatórios

O Banco Central (BC) voltou a divulgar nesta terça-feira, 26, o Boletim Focus, que apresenta as previsões do mercado financeiro para os principais indicadores da economia. As projeções não eram divulgadas há um mês em virtude da greve dos servidores da autarquia. De acordo com a publicação, a expectativa dos bancos para a inflação de 2022 saltou de 6,8% em 28 de março para 7,65% nesta semana. A nova estimativa — a 15.ª elevação —, afasta ainda mais a percepção de a autoridade monetária cumprir a meta da inflação em 2022, de 3,5%, com margem de 1,5 ponto percentual, ou seja, entre 2% e 5%. Para o ano que vem, a previsão passou de 3,8% para 4%. O BC já indicou que não deve manter a inflação abaixo do teto da meta neste ano e que vai focar em trazer o índice para o limite em 2023, quando persegue o centro de 3,25%, com limites de 1,75% e 4,75%.

Se a previsão do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, se concretizar, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) irá estourar o teto máximo pelo segundo ano consecutivo. A opinião do mercado elevou a taxa Selic de 13% para 13,25%. Atualmente, o Comitê de Política Monetária (Copom) calcula a Selic em 11,75%, mas o índice deve ser revisado para em cima em novo encontro agendado para 3 e 4 de maio. Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), a expectativa do Focus para 2022 foi de 0,50% para 0,68%. Para 2023, a previsão é de 1% — há quatro semanas, o índice estava em 1,3%, o que indica uma queda. O recente movimento de desvalorização do dólar levou ao corte na projeção do câmbio para este ano de R$ 5,25 para R$ 5,00, e de R$ 5,20 para R$ 5,00 em 2023.