Pix completa um ano com nova ferramenta para devolução de valores; entenda

Mudança padroniza ações das instituições financeiras e oferece mais segurança aos usuários; Pix Troco e Pix Saque também devem entrar em operação até o fim do mês

  • Por Jovem Pan
  • 16/11/2021 13h07
Marcello Casal Jr/Agência BrasilPesquisa do mercado financeiro elevou projeção para o PIB e a inflação para este ano e 2023

O Pix, sistema gratuito de pagamento instantâneo do Banco Centra (BC), completa um ano nesta terça-feira, 16, e começa a contar com uma nova ferramenta para a devolução de valores em casos de fraude ou erro operacional. Editado pelo BC em junho, o Mecanismo Especial de Devolução padroniza os meios para que as instituições financeiras retornem o dinheiro dos clientes. Desde o lançamento do Pix, está disponível uma funcionalidade que permite que o usuário recebedor devolva, total ou parcialmente, os valores de uma transação. Entretanto, não havia previsão de que a devolução fosse iniciada pela instituição de relacionamento do recebedor. Até então, a devolução era feito de acordo com métodos de cada entidade, o que levava mais tempo para que o problema fosse solucionado, além de dificultar todo o processo. A instituição que efetuar uma devolução utilizando o mecanismo especial precisará notificar o usuário sobre a realização do débito na conta. Além disso, a transação constará do extrato das movimentações.

Outras novidades são esperadas para a plataforma ainda neste mês. A partir do dia 29, os usuários terão à disposição o Pix Saque e o Pix Troco, que possibilitarão a retirada de dinheiro em espécie através do sistema do BC. Atualmente, a plataforma permite apenas a transferência de valores entre contas diferentes. O Pix Saque irá permitir que os usuários retirem valores em espécie em pontos que ofertarem o serviço, como comércios, restaurantes, padarias e redes de caixa eletrônico. Os usuários poderão sacar o dinheiro após fazer uma operação do Pix através da leitura de um QR Code ou usando o aplicativo. O Pix Troco funcionará de forma semelhante. A diferença é que o saque poderá ser realizado durante o pagamento de uma compra. Nesse caso, o Pix é feito pelo valor total (compra + saque). No extrato do cliente aparecerá o valor correspondente ao saque e ao valor da compra. Os novos serviços terão limite máximo de R$ 500 durante o dia, e R$ 100 durante o intervalo entre 20 horas e 6 horas. Haverá, no entanto, liberdade para que os ofertantes dos novos produtos trabalhem com limites inferiores a esses valores. Os usuários poderão fazer até oito transações gratuitas por mês. Para o comércio que disponibilizar o serviço, as operações representarão o recebimento de uma tarifa que pode variar de R$ 0,25 a R$ 0,95 por transação, a depender da negociação com a sua instituição de relacionamento.