Poupança fecha trimestre com mais saques que depósitos após fim do auxílio

Dados do Banco Central mostram diferença de R$ 27,54 bilhões entre retiradas e recolhimento desde janeiro; apesar da queda, brasileiros ainda mantém R$ 1 trilhão na caderneta

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2021 17h03 - Atualizado em 07/04/2021 17h16
Marcello Casal Jr./Agência BrasilBrasileiros sacaram mais dinheiro da poupança que depositaram após fim do auxílio, em dezembro de 2020, e piora da pandemia

Os brasileiros retiraram mais dinheiro da poupança do que adicionaram em março, uma diferença de R$ 3,52 bilhões, segundo dados do Banco Central divulgados nesta quarta-feira, 8. O saldo é o resultado de R$ 317,65 bilhões depositados contra R$ 321,17 bilhões sacados. Este foi o terceiro mês seguido que a poupança fecha no vermelho e coincide com o fim do pagamento do auxílio emergencial, em dezembro de 2020, e a piora da pandemia do novo coronavírus no início deste ano. Desde janeiro, foram retirados R$ 27,54 bilhões a mais do que depositados. Apesar da queda, os brasileiros ainda possuem R$ 1,013 trilhão depositados na poupança.

O benefício voltou a ser distribuído nesta terça-feira, 6. Já quem é inscrito no Bolsa Família receberá o valor de acordo com o calendário habitual do programa, que em abril inicia no dia 16. Serão quatro parcelas até julho com valor médio de R$ 250, mas que podem variar de R$ 150 a R$ 375, a depender da configuração familiar – mulheres chefes de família receberão R$ 375, e pessoas que moram sozinhas terão direito a R$ 150 por mês. O benefício deve ser pago para aproximadamente 46 milhões de famílias, totalizando R$ 44 bilhões de investimento. Em 2020, foram gastos R$ 295 bilhões com o programa, beneficiando 68 milhões de pessoas. A primeira rodada do auxílio pagou cinco parcelas de R$ 600 a R$ 1.200. A medida foi renovada com mais quatro parcelas de R$ 300 e R$ 600.