Egito estende eleições por mais um dia, após baixa participação

  • Por Agencia EFE
  • 27/05/2014 13h55

Cairo, 27 mai (EFE).- A Comissão Suprema Eleitoral do Egito decidiu nesta terça-feira estender até amanhã as eleições presidenciais no Egito, depois de registrar hoje um número reduzido de eleitores.

Abdelwahab Abdelrazeq, um membro da comissão eleitoral, garantiu à agência estatal de notícias “Mena” que a decisão foi tomada para dar oportunidade para que um maior número de egípcios exerça seu direito ao voto

A participação no primeiro dia de eleições presidenciais no Egito não superou 15%, conforme informou a equipe de campanha do candidato Hamdin Sabahi. Nesta terça-feira, o segundo dia, a participação dos eleitores foi sensivelmente menor com relação a ontem, embora possa aumentar nas próximas horas, sobretudo entre os jovens, apontou a campanha em comunicado. Originalmente, a votação deveria ser encerrada hoje.

“Ninguém se interessa em votar se está certo que (o ex-chefe do exército Abdul Fatah) Al-Sisi vai ganhar o pleito”, afirmou à Agência Efe Sabahi Rabab Zinedin, integrante da campanha, para explicar o motivo de tão baixa participação. Sua equipe pedia a participação da população nas eleições para que fosse evitada a manipulação dos votos.

“Por trás da baixa participação está a lição aprendida pelos egípcios de que sempre se levantarão contra o retorno da política do antigo regime”, explicou Sabahi.

Ela denunciou, além disso, que continua uma série de supostas violações como a propaganda eleitoral dentro dos locais de votação ou o envolvimento de alguns empresários a favor de Al-Sisi filiados ao dissolvido Partido Nacional Democrático do ex-presidente Hosni Mubarak.

A Efe constatou que a participação de eleitores é pequena em vários bairros do Cairo, onde ontem foi observado um maior número de mulheres do que de homens votando.

Por sua vez, uma fonte da missão de observadores da Liga Árabe destacou à Efe que na cidade mediterrânea de Alexandria, a segunda maior do país, a participação de ontem foi “pouca”, com apenas uma minoria de jovens exercendo seu direito ao voto, e hoje foi “quase nula”.

Apesar de ainda não terem sido divulgados os números oficiais, as autoridades estenderam a votação de hoje por mais uma hora, até as 22 horas (horário local) (16h em Brasília), e decretaram feriado em todo o país para incentivar à população a votar, perante as poucas filas nos colégios.

O primeiro-ministro egípcio, Ibrahim Mahlab, garantiu à imprensa que o segundo dia de eleições está acontecendo em um ambiente de “segurança e proteção”, e que o governo está tentando dotar o pleito de “total transparência e imparcialidade”.

Ele advertiu que será imposta uma multa para os que não votarem, conforme estipulado pela lei, que prevê a obrigatoriedade do voto. EFE