Especial “Rodovias Brasileiras”, capítulo 1: más condições afetam economia do País

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2015 15h59
?????Rodovias brasileiras

A Jovem Pan exibe nesta semana um especial sobre as rodovias brasileiras. No primeiro capítulo da série vamos mostrar os impactos causados na economia do país devido as más condições das estradas. Os reflexos na eficiência e competivividade do Brasil.

Com sonoplastia de Reginaldo Lopes e reportagem de Daniel Lian, acompanhe o primeiro episódio da série.

A condição de uma rodovia é peça fundamental para eficiência logística, mas no Brasil durante décadas o tema foi deixado de lado e, agora, há uma corrida contra o relógio para recuperar e incrementar aquilo que não foi feito ao longo do tempo em relação à infraestrutura.

O País poderia ter uma maior competitividade no mercado externo se tivesse apostado num investimento consistente nas estradas espalhadas de norte a sul.

Só para se ter uma ideia, mais de 60% das cargas movimentadas no Brasil são transportadas através de rodovias. As concessões tem gerado ganho de qualidade.
O fato é que a nação paga caro pela inapetência de governantes, isto sem falar da corrupção. O desvio de verbas engessa um planejamento adequado.

A analista de políticas e indústria da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Ilana Ferreira elenca os impactos no setor produtivo.

“Uma rodovia em condições precárias aumenta o custo do frete, o tempo no trajeto e aumenta diretamente o custo produtivo do setor industrial”, avalia. (Ouça todos os detalhes dos entrevistados no áudio acima)

62% da malha rodoviária brasileira é classificada como ruim ou péssima de acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional do Transporte.

O economista José Roberto Mendonça de Barros faz uma leitura do aumento do custo Brasil e os reflexos diretos sobre o crescimento do país em decorrência das condições das rodovias.

O volume de buracos reduz a vida útil dos caminhões em cerca de 20%”, considera também. (Ouça todos os detalhes acima)

Num mundo globalizado a experiência atual indica que o que diferencia os países é a qualidade da força de trabalho e da infraestrutura. Nesta premissa nota-se que uma máquina pode ser importada, mas uma rodovia não. E sem isto o crescimento é menor.

O ex-secretário de política Econômica do Ministério da Fazenda, Júlio Gomes d e Almeida enfatiza que de nada adianta ter uma expressiva eficiência no agronegócio, na indústria, como exmplo, se quando vai escoar a produção esbarra-se nas más condições das estradas. (Ouça acima)

No próximo capítulo da série de reportagens. Os impactos na cadeia logística do país. Os reflexos na indústria e no agronegócio. E como as exportações são afetadas.