Frente Nacional abre otimista congresso de olho em volta ao Champs-Élyséess

  • Por Agencia EFE
  • 29/11/2014 14h30

Lyon (França), 29 nov (EFE).- A Frente Nacional (FN), de Marine le Pen, abriu neste sábado seu XV Congresso cheio de auto-estima, após ser o partido mais votado do país nas últimas eleições europeias, e com o objetivo de finalmente chegar ao poder na França.

Precedido por hinos épicos, o fundador e presidente de honra do partido, Jean-Marie Le Pen, abriu o evento para os milhares de filiados que se reuniram neste fim de semana no Palácio de Congressos de Lyon, em um evento que gostariam que se tornasse o trampolim para as eleições presidenciais de 2017.

Amanhã será a vez da líder do partido e filha do fundador, Marine le Pen, em torno de quem o FN cerrou fileiras com a esperança de levar a direita mais nacionalista e populista ao Champs-Élysées.

Uma pesquisa da casa Ifop para o jornal “Sul Ouest Dimanche” reafirmou a imagem que os franceses têm de Le Pen como “opositora em chefe” e de sua forte capacidade: 52% dos operários e assalariados consultados acreditam que ela “entende bem os problemas de gente como eles”.

“A imigração em massa não é a única causa da decadência francesa, mas a mais importante”, afirmou Jean Marie Le Pen, de 86 anos, abrindo o discurso de hoje com as mesas bases que sustenta há décadas.

Diante do entusiasmo geral Le Pen sintetizou o ideário político de seu partido: “Um milhão de imigrantes é um milhão de parados a mais! A segurança é a primeira das liberdades! Não ao islamismo e sim à Frente Nacional!”.

Amanhã será anunciada oficialmente o resultado da eleição interna que definirá os membros do Comitê Central do partido, embora a imprensa francesa tenha vazado hoje que a mais votada é a caçula da dinastia Le Pen, Marion Maréchal-Le Pen, deputada de 24 anos. EFE

er/fpa