Grupo radical jura lealdade à filial síria da Al Qaeda

  • Por Agencia EFE
  • 23/09/2015 14h40

Beirute, 23 set (EFE).- O Exército dos Emigrantes e os Seguidores, um grupo radical que opera na Síria e que conta com cerca de 1,5 mil combatentes, jurou nesta quarta-feira lealdade à Frente al Nusra, filial da Al Qaeda no país árabe.

Em comunicado divulgado na internet, o Exército dos Emigrantes e os Seguidores anunciou seu apoio à Frente al Nusra “para unir a palavra, chegar a suas filas e fortalecer as garras dos mujahedins (guerreiros santos), e jogar aos inimigos da religião”.

Na nota fizeram uma chamada ao resto de facções “amigas” para que se unam a fim de “construir o projeto islâmico na terra do Sham”, em referência à Síria.

A organização está composta majoritariamente por milicianos chechenos, tadjiques, uzbeques e turcomenos e está presente na província de Aleppo, no noroeste do país.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos destacou que o Exército dos Emigrantes e os Seguidores não intervém nos assuntos relativos à administração civil dos territórios que controla e se limita a combater o regime de Bashar al Assad.

Teu líder é Abu Ibrahim al Jorasani, que foi nomeado após a expulsão de seu antecessor Salahuddin al Shishani.

Segundo o Observatório, Al Shishani foi expulso após rejeitar lutar contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), após uma tentativa de trégua com esta organização. EFE