Jordânia enforca dois militantes iraquianos em resposta a morte de piloto

  • Por Reuters
  • 04/02/2015 11h07

Estudantes mostram foto de piloto jrdaniano assassinado pelo Estado Islâmico em ato em Amã nesta terça

Estudantes mostram foto de piloto jrdaniano assassinado pelo Estado Islâmico em ato em Amã nesta terça

A Jordânia enforcou dois jihadistas iraquianos nesta quarta-feira, um homem e uma mulher, em resposta ao vídeo do Estado Islâmico que mostra um piloto jordaniano sendo queimado vivo pelo grupo militante radical.

O Estado Islâmico havia exigido a libertação da mulher, Sajida al-Rishawi, em troca por um refém japonês que posteriormente foi decapitado. Condenada à morte em 2005 por envolvimento em um ataque a bomba suicida em Amã, Rishawi foi executada ao amanhecer, disseram uma fonte da área de segurança e a televisão estatal.

A Jordânia, que faz parte da coalizão liderada pelos Estados Unidos para realizar ataques aéreos contra o Estado Islâmico, prometeu se vingar pela morte do piloto jordaniano Muath al-Kasaesbeh, que foi capturado em dezembro após a queda de seu caça F-16 no nordeste da Síria.

A Jordânia também executou um importante membro da Al Qaeda que estava preso no país, Ziyad Karboli, um iraquiano condenado à morte em 2008.