Ao menos 13 pessoas morreram após ação policial em festa clandestina no Peru

Em nota, o governo peruano informou que os policiais ‘não usaram arma ou bomba lacrimogênea’; na boate Thomas Restobar acontecia uma festa com cerca de 120 pessoas

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2020 10h39 - Atualizado em 23/08/2020 10h46
Reprodução / TwitterMortes em boate de Lima, no Peru

Ao menos 13 pessoas morreram após uma ação policial em uma casa noturna onde acontecia uma festa clandestina “com aproximadamente 120 pessoas”, informou o Ministério do Interior do Peru. “Estão terminantemente proibidas as reuniões sociais devido ao estado de emergência que vive o país” por conta da pandemia do novo coronavírus, que causa a Covid-19. Algumas pessoas teriam sido pisoteadas e outras ficaram presas na porta de saída do local.

O governo peruano afirma ainda que a intervenção policial se deu perto das 21h (hora local) deste sábado, 22, no Thomas Restobar, no bairro Los Olivos, em Lima, após denúncias de vizinhos de que, no local, acontecia uma festa. Nenhum tipo de arma ou bomba lacrimogênea foi empenhada na ação, diz a nota à imprensa. “Perderam a vida 13 pessoas que estão em processo de identificação, outros três pessoas estão feridas, assim como três policiais que atentaram ajudar após o tumulto”, diz o governo.

Outras 23 pessoas estão detidas na Direção de Investigação Criminal de Los Olivos. Segundo o governo, as diligências ainda estava em andamento na manhã deste domingo, 23. “As diligências no local continuam para identificar os danos e responsáveis por esse lamentável episódio para que o Ministério Público solicite a prisão preventiva dos responsáveis, bem como as ações correspondentes”. O Ministério do Interior ainda lamenta profundamente as mortes “consequência da irresponsabilidade de um empresário inescrupuloso”. O MP de Lima também informou no Twitter que as causas das mortes serão investigadas e que há diligências em andamento no local.