Argentina autoriza uso emergencial de duas vacinas contra Covid-19

Doses da Sputnik V já foram enviadas ao país, mas o governo argentino ainda está em negociações com a Pfizer, que o ministro da Saúde acusa de estar dificultando as tratativas

  • Por Jovem Pan
  • 23/12/2020 13h22 - Atualizado em 23/12/2020 15h17
EFE/EPA/DUBAI GOVERNMENT MEDIA OFFICEA Argentina entrou para a lista de países que autorizaram o uso emergencial do imunizante desenvolvido em parceria com a BioNTech

A agência reguladora de alimentos e medicamentos da Argentina (ANMAT) autorizou nesta quarta-feira, 23, o uso emergencial da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer em parceria com a BioNTech e da Sputnik V, criada pelo russo Instituto Gamaleya. A entidade considerou que os imunizantes apresentam uma “relação risco-benefício aceitável” e, por isso, permitiu que eles sejam comercializados no país pelo prazo de um ano sob prescrição. Apesar da Argentina ter participado da terceira fase de testes clínicos da vacina da Pfizer, a aquisição das doses ainda está em andamento. Durante uma entrevista à rádio El Destape, o ministro da Saúde, Ginés González García, afirmou que as farmacêuticas estavam estabelecendo condições “inaceitáveis” que estariam dificultando as negociações. Enquanto isso, 300 mil doses da Sputnik V já partiram em um voo de Moscou para o país sul-americano.

A Argentina também possui acordo com a Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca, . No entanto, essa vacina contra a Covid-19 ainda não recebeu a aprovação da ANMAT. A vacina produzida pela Pfizer que protege contra o novo coronavírus já recebeu autorização para uso também na União Europeia, Arábia Saudita, Chile, Canadá, México, Estados Unidos e Reino Unido.

*Com informações de agências internacionais