Atropelamento intencional na Alemanha mata 5, incluindo um bebê

Segundo o Ministério Público de Trier, o autor do crime é um alemão de 51 anos de idade que não possuía antecedentes criminais e estava embriagado no momento da prisão

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2020 11h14 - Atualizado em 02/12/2020 13h00
EFE/EPA/RONALD WITTEKOs moradores de Trier homenagearam as vítimas do atropelamento deixando velas, flores e mensagens no local do crime

Nesta terça-feira, 1, um atropelamento intencional na cidade de Trier, na Alemanha, causou a morte de cinco pessoas, entre ela um bebê de apenas nove meses de idade, e deixou 18 feridos. Em entrevista coletiva, os investigadores do caso afirmaram que o motorista acelerou o seu carro SUV em direção a uma área exclusiva para pedestres no centro da cidade pouco depois das 13h45 do horário local (8h45 do horário de Brasília). Ele dirigiu em ziguezague por centenas de metros com o intuito de atropelar os pedestres e destruir as lojas, que ficam entre dois importantes monumentos históricos locais, a Basílica de Constantino e a Porta Nigra. Quatro minutos depois, o homem tentou fugir por uma rua com tráfego de veículos, mas acabou sendo interceptado por várias viaturas policiais que já se dirigiam ao local do crime. O motorista ofereceu resistência, mas acabou sendo preso.

Segundo o Ministério Público de Trier, o autor do crime é um alemão de 51 anos de idade que nasceu na cidade, mas vivia em um município vizinho. Ele estava embriagado no momento da prisão e não tinha antecedentes criminais. O motivo do atropelamento ainda é desconhecido, mas sabe-se que ele passou os dias antes do crime sozinho dentro do seu veículo. O caso será julgado nesta quarta-feira, 2, quando será decidido se ele ficará preso ou será internado em uma instituição psiquiátrica, caso se prove que ele sofre algum distúrbio do tipo. Vários veículos de imprensa alemã o identificaram como Bernd W. A polícia de Trier afirmou que não existem indicações de que a cidade continua sob perigo. Uma equipe do esquadrão antibombas descartou a possibilidade de haver explosivos no veículo do criminoso. Além disso, cerca de 300 oficiais foram distribuídos pelo centro da cidade, alguns deles fortemente armados.

Uma das vítimas do atropelamento chegou a ser atendida pelos médicos, mas acabou falecendo no hospital. As outras quatro morreram na hora, incluindo o bebê de nove meses. A mãe da criança ficou ferida, mas sobreviveu. O porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, afirmou que os eventos em Trier foram “chocantes” e expressou apoio em nome da chanceler Angela Merkel às famílias das vítimas. Já o prefeito da cidade, Wolfram Leibe, disse que ficou chocado ao caminhar pelas ruas onde aconteceu o atropelamento e que as cenas foram de “horror”. Toda a área onde o caso aconteceu ficou isolada por horas enquanto os investigadores coletavam provas.

*Com informações da EFE