‘Foram disparados mais de 500 tiros’, afirma morador de Criciúma sobre madrugada de assalto

José Damásio contou detalhes do que aconteceu durante a ação criminosa e afirmou que os assaltantes ficaram em pontos estratégicos da cidade ‘fazendo terrorismo’

  • Por William Amorim
  • 01/12/2020 10h22
GUILHERME HAHN/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDOPolícias Civil, Rodoviária e Federal estão buscando informações dos criminosos

Os moradores de Criciúma, em Santa Catarina, viveram momentos de pânico na noite de segunda-feira, 30, quando criminosos se posicionaram em pontos estratégicos da cidade com forte armamento para conseguir realizar um assalto a uma agência bancária. O publicitário José Damásio, de 27 anos, saiu do trabalho às 23h30, cerca de 15 minutos antes da ação criminosa começar. “Fiz exatamente a mesma rota que os bandidos, passei por todas as ruas que eles passaram. Eu moro bem na região central, então deu para ver tudo da janela da minha casa”, afirmou em entrevista à Jovem Pan. Durante o assalto, duas pessoas foram atingidas, sendo uma delas um policial militar. “Nos primeiros tiros, achei que eram fogos, mas depois que ficou muito repetitivo vi que não era algo normal. Eles estavam fazendo terrorismo, atirando para cima sem dó de gastar munição”, comentou José.

O publicitário morou a vida inteira em Criciúma e, conhecendo bem a região, explicou que os criminosos ficaram estrategicamente posicionados para conseguir realizar o assalto sem serem pegos. “Eles ficaram mais de uma hora embaixo da minha janela. Eles cercaram a região central para acobertar o processo de explosão do banco. Quando houve a explosão, chegou a tremer as vidraças. Foi bizarro. Foram disparados mais de 500 tiros”, comentou o morador. Nas redes sociais, o assalto começou a ser relacionado com cenas da série de sucesso da Netflix, “La Casa de Papel”, sendo esse um dos assuntos mais comentados do Twitter nesta terça-feira, 1. Vendo de perto o que aconteceu, José não consegue fazer essa comparação. “Acho que isso deve ser visto apenas como um meme de internet, não faz sentido linkar dessa forma.”

Até o momento, nenhum dos assaltantes foram presos, apenas pessoas que pegaram cédulas espalhadas no chão após a explosão. Em nota oficial, foi divulgado que “as polícias Civil, Rodoviária Federal e Federal estão atuando na busca por informações que leve a captura dos criminosos” e que “todas as equipes de Inteligência das Forças de Segurança Pública também estão atuando em conjunto”. Para José, Criciúma é um local seguro, mas esse caso deixou claro o quanto a população está vulnerável. “Moro aqui desde sempre e dá para perceber que é um caso isolado, mas em contrapartida dá para perceber que os criminosos estão absolutamente mais fortes que a força policial, então eles podem pintar e bordar do jeito que quiserem. Criciúma é segura, mas eles conseguiram nos aterrorizar e fica aquele medo”, finalizou.