Biden assina ordem executiva que reverte saída dos Estados Unidos da OMS

Com a decisão, o Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, irá voltar a participar de reuniões da OMS representando a delegação americana

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2021 00h42
Reprodução Twitter / JoeBiden

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, confirmou que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou a ordem executiva que reverte a saída dos EUA da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo ela, o Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, irá voltar a participar de reuniões da OMS representando a delegação americana. Psaki também anunciou a criação de uma “resposta nacional unificada à pandemia”, que será um comitê de especialistas que apoiará o governo nas decisões relacionadas à pandemia de Covid-19. A Casa Branca pretende anunciar novas medidas contra a doença nesta quinta-feira, 21.

O possível retorno à OMS já circulava na imprensa, assim como outros decretos que forma assinados por Biden no primeiro dia de mandato, em um chamado “choque de gestão”. Dessas ordens, apenas três foram assinadas em frente às câmeras: o retorno ao Acordo Climático de Paris, o compromisso do governo Biden com minorias e a obrigatoriedade do uso de máscaras e do distanciamento social em áreas sob o comando do governo federal. Psaki disse ainda que a volta ao Acordo de Paris recoloca os EUA em uma posição de liderança. “A prioridade de Biden é reconstruir as alianças dos EUA com o mundo”, afirmou.

*Com informações da EFE