BoE cita preocupações com consumo, mercado de crédito e incertezas com Brexit

  • Por Estadão Conteúdo
  • 04/07/2017 10h30
BRE19 LONDRES (REINO UNIDO) 20/02/2017.- Varias personas manifiestan con pancartas y ondean la bandera de la Unión Europea a las afueras del Parlamento en Londres, Reino Unido, hoy, 20 de febrero de 2017. Emigrantes a favor de la Unión Europea residentes en Reino Unido pusieron en marcha varias manifestaciones en contra de la activación del "brexit" para la salida del Reino Unido de la Unión Europea (UE). La Cámara de los Lores (alta) empieza a debatir hoy el proyecto de ley que debe autorizar la activación del "brexit", la salida del Reino Unido de la Unión Europea. La primera ministra británica, Theresa May, ha indicado que es su intención invocar el artículo 50 del Tratado de Lisboa, que inicia el proceso formal de negociaciones sobre la retirada de un país comunitario, antes de que termine el próximo mes de marzo. EFE/Andy RainNas questões domésticas, o crédito cresceu em linha com o Produto Interno Bruto (PIB) nominal nos últimos dois aos

O Comitê de Política Financeira do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), divulgou a ata de sua reunião extraordinária sobre estabilidade financeira, citando preocupações com o consumo, o mercado de crédito e as incertezas em relação à saída do Reino Unido da União Europeia (UE), o Brexit.

Nas questões domésticas, o crédito cresceu em linha com o Produto Interno Bruto (PIB) nominal nos últimos dois aos. Os empréstimos bancários para famílias e companhias privadas cresceu de forma cumulativa em 7,3% em dois anos, no primeiro trimestre e 2017.

Nas questões externas, a perspectiva de curto prazo de crescimento se fortaleceu e se ampliou e alguns riscos globais não se materializaram. O ambiente global pode influenciar riscos de exposição para o Reino Unido de forma indireta, através de efeitos potenciais no crescimento econômico do país, segundo o documento.

Na última reunião, em 15 de junho, o BoE decidiu manter sua política monetária. Alguns dirigentes da instituição, porém, votaram por uma alta nos juros.

O BoE manteve a taxa básica de juros em 0,25%, na mínima histórica, bem como o volume de compras de bônus soberanos em 435 bilhões de libras.