Casa Branca diz que americanos podem receber vacina contra Covid-19 em 20 dias

O governo dos EUA disse estar “preparado para começar a distribuir as vacinas dentro de 24 horas após sua aprovação”

  • Por Jovem Pan
  • 22/11/2020 18h04
EFE/EPA/HOTLI SIMANJUNTAK/ArchivoVacinação poderá começar em 12 de dezembro.

Os americanos poderiam começar a receber a vacina contra a Covid-19 já em 12 de dezembro, segundo informações do principal assessor da Operação Warp Speed, a equipe da Casa Branca tentando acelerar as soluções médicas para a pandemia. Consultores da Administração de Alimentos e Drogas dos EUA (FDA) se reunirão em 10 de dezembro para decidir se aprovam a vacina desenvolvida pela Pfizer e seu parceiro alemão BioNTech, que na última sexta-feira solicitou uma autorização de emergência para sua preparação nos Estados Unidos. Se for aprovada nesse mesmo dia, o governo dos EUA está “preparado para começar a distribuir as vacinas dentro de 24 horas após sua aprovação”, declarou o assessor da Operação Warp Speed, Moncef Slaoui, em uma entrevista à emissora de televisão “ABC News”. “Teremos as (primeiras) vacinas (distribuídas) um dia após a aprovação, e esperamos que as pessoas possam começar a ser imunizadas, eu diria dentro de 48 horas após a aprovação”, completou.

Se isso acontecer, o especialista calculou que os EUA poderiam voltar a um novo normal em maio de 2021, quando, em suas estimativas, 70% da população terá recebido a vacina, o que proporcionaria uma imunidade grupal. Slaoui explicou que as primeiras vacinas serão distribuídas em proporção à população de cada estado, e esses territórios poderão decidir quem terá prioridade para receber a vacina, geralmente entre populações de alto risco e profissionais da área da saúde.

O governo Trump forneceu poucos detalhes sobre como enfrentará o desafio de vacinar os mais de 330 milhões de habitantes e não compartilhou seus planos com a equipe de Joe Biden, apontado como vencedor das últimas eleições. O democrata considera que tal falta de cooperação poderia custar vidas no país. O calendário traçado por Slaoui significa que as primeiras vacinações poderiam começar mais de um mês antes da posse do novo chefe de governo, marcada para 20 de janeiro.

O esforço de vacinação também deve abordar a desconfiança de muitos americanos em relação à imunização: apenas 58% da população está disposta a recebê-la, de acordo com uma pesquisa publicada esta semana pela Gallup. A vacina Pfizer requer duas doses administradas com cerca de três semanas de intervalo, e tem se mostrado até 95% eficaz em ensaios clínicos preliminares, sem grandes problemas de segurança. Os EUA têm outro candidato que também demonstrou a eficácia de sua vacina, a Moderna, que, ao contrário da concorrente, deve parte do seu sucesso à injeção de fundos do governo americano.

*Com informações da EFE