Casal responsável por chá de revelação que terminou em incêndio será julgado por homicídio nos EUA

Angela Renee Jimenez e Refugio Manuel Jimenez afirmaram que não se consideram culpados; eles podem ser condenados a até 20 anos de prisão

  • Por Jovem Pan
  • 21/07/2021 17h12 - Atualizado em 21/07/2021 18h14
Brandon Taylor / Latin America News AgencyBombeiro morreu tentando controlar incêndio causado por dispositivo pirotecnico em chá de revelação

A Justiça dos Estados Unidos informou nesta terça-feira, 20, que o casal responsável pelo chá de revelação que iniciou um incêndio florestal na região de El Dorado, no Sul da Califórnia, em 2020, responderá pelo homicídio culposo — quando não há intenção de matar — de um bombeiro de elite que morreu tentando controlar o fogo. Segundo investigações da polícia, um dispositivo pirotécnico acionado por Refugio Manuel Jimenez Jr. e Angela Renee Jimenez em um parque local deu início ao incêndio na região. Eles tentaram apagar o fogo com a ajuda de convidados, mas acionaram a polícia quando viram que a situação saiu de controle. À corte, o casal afirmou que era inocente. Se considerada culpada, a dupla pode ser condenada a até 20 anos de prisão.

O incêndio causado pelo dispositivo de revelação de gênero do bebê de Angela e Refugio durou 12 dias e queimou mais de 22 mil acres de terra na região de Los Angeles, movimentando mais de 1,3 mil bombeiros para tentar controlar o fogo. O tempo seco e os ventos registrados na região ajudaram na propagação das chamas e o bombeiro Charlie Morton, de 39 anos, que tinha 18 anos de carreira na elite do serviço florestal do país, morreu em serviço, deixando a esposa e uma filha. Além da morte do bombeiro, o fogo deixou pelo menos outras 13 pessoas feridas e causou a evacuação de milhares de pessoas das próprias casas.