China pretende dobrar o tamanho de seu arsenal nuclear, diz Pentágono

Os EUA afirmam que o país asiático já ultrapassou o poderio militar americano em uma série de áreas importantes, como construção de navios, desenvolvimento de mísseis balísticos e de cruzeiro, bem como sistemas integrados de defesa aérea

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2020 17h01
Japan/Handout via REUTERS/File PhotoA China pretende dobrar o tamanho de seu arsenal nuclear

O exército chinês está trabalhando para duplicar o número de ogivas nucleares nos próximos de dez anos. Ao menos, é o que diz um relatório divulgado pelo Pentágono e replicado na emissora “CNN”, na tarde desta terça-feira, 2. Nele, os Estados Unidos afirmam que a China já ultrapassou o poderio militar americano em uma série de áreas importantes, como construção de navios, desenvolvimento de mísseis balísticos e de cruzeiro, bem como sistemas integrados de defesa aérea. “Ao longo da próxima década, o estoque de ogivas nucleares da China – atualmente estimado em 200 anos – deve pelo menos dobrar de tamanho à medida que a China expande e moderniza suas forças nucleares”, diz o documento.

O relatório foi divulgado pelo Pentágono no mesmo momento em que a relação entre EUA e China se estremece. Na semana passada, o país oriental afirmou que lançou dois mísseis porta-aviões ontem no Mar do Sul da China como um aviso para os norte-americanos. “As forças nucleares da China irão evoluir significativamente na próxima década, à medida que se moderniza, diversifica e aumenta o número de suas plataformas de entrega nuclear terrestre, marítima e aérea”, disse o relatório, acrescentando que “a China está buscando um ‘ tríade nuclear “com o desenvolvimento de um míssil balístico lançado pelo ar com capacidade nuclear e aprimoramento de suas capacidades nucleares terrestres e marítimas”, completa o texto desenvolvido pelo Pentágono.

Desde o começo do governo Trump, em 2016, os Estados Unidos tentam incluir a China em suas tratativas de controle de armas nucleares com a Rússia, algo que Pequim tem resistido. No entendimento de Washington, o poderio militar de Pequim é preocupante. “A China possui a maior marinha do mundo, com cerca de 350 navios e submarinos, incluindo mais de 130 grandes combatentes de superfície. Em comparação, a força de batalha da Marinha dos EUA era de aproximadamente 293 navios no início de 2020”, diz o relatório.

Nas observações realizadas pelo Pentágono, consta que o os gastos da China com aparatos militares continuam subindo, alcançando uma taxa que excede o crescimento econômico chinês, permitindo que o investimento com a defesa supere os de outros países da região. Ainda assim, o valor desembolsado por Pequim é bem inferior em relação ao americano. O orçamento oficial de defesa da China foi de US $ 174 bilhões em 2019, contra cerca de US $ 685 bilhões gastos pelos EUA. Para efeito de comparação, o orçamento de defesa do Japão em 2019 foi de cerca de US $ 54 bilhões, o da Coréia do Sul foi de cerca de US $ 40 bilhões e o de Taiwan foi de US $ 10,9 bilhões.