China x EUA: Pequim acusa secretário americano de ‘semear discórdia’ com a América Latina

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, disse que Pompeo, atualmente cumprindo uma agenda de visitas a alguns países latino-americanos, quer “interromper a cooperação” entre eles e a China

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2020 14h34 - Atualizado em 18/09/2020 14h35
Reprodução/NeofeedO clima entre China e EUA segue tenso

O clima entre China e Estados Unidos segue tenso. Nesta sexta-feira, 18, Pequim acusou o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, de “semear a discórdia” entre o país asiático e a América Latina. Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, disse que Pompeo, atualmente cumprindo uma agenda de visitas a alguns países latino-americanos, como o Brasil, quer “interromper a cooperação” entre eles e a China. “Suas declarações nada mais são do que ataques agressivos para difamar a China. Estão cheias de preconceitos ideológicos, mas não baseadas em fatos”, disse o porta-voz.

Wang enfatizou que a China “não pedirá aos países em questão que escolham isso ou aquilo em suas relações de cooperação” e “não ameaçará outros países para que não cooperem com nenhum outro”. Segundo um funcionário do Departamento de Estado dos EUA, Pompeo, que além do Brasil faz visitas a Suriname, Guiana e Colômbia, tem o objetivo de fortalecer a segurança regional diante de uma “ameaça” representada pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, um aliado de Pequim.

Pompeo também aproveitará a viagem para destacar “como as empresas americanas investem no hemisfério de forma responsável e transparente, o que contrasta fortemente com a China”, de acordo com a mesma fonte. O chefe da diplomacia americana argumentará que os “empréstimos predatórios” e os projetos do gigante asiático deixaram “dívidas insustentáveis” em países da região, além de ameaçar a “segurança nacional e a soberania”.

*Com informações da Agência EFE