Com 38% da população vacinada, Israel relaxa medidas contra Covid-19

No entanto, o surto do novo coronavírus ainda não está controlado no país, que registrou uma média de 10 mil novos casos a cada dia ao longo de janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2021 17h54
EFE/EPA/ABIR SULTANOs israelenses voltaram a ocupar as ruas do país neste domingo, 7, depois do lockdown ser prorrogado três vezes

O terceiro confinamento nacional imposto em Israel para combater a propagação do novo coronavírus começou a ser relaxado neste domingo, 7. As taxas de infecção continuam altas: em janeiro, o país registrou uma média de 10 mil novos casos diários. No entanto, o governo espera que o fato de já ter vacinado 38% de sua população contra a Covid-19 mostre o seu efeito e está apostando em uma saída lenta e gradual do lockdown. Agora, os cidadãos podem se deslocar a mais de um quilômetro de distância de suas casas e retomar os trabalhos presenciais. Escolas, restaurantes e locais de entretenimento continuarão fechados por enquanto, mas os salões de cabelereiro, as reservas naturais e os parques nacionais já estão liberados para reabrir.

A terceira onda de contágio pelo vírus SARS-CoV-2 continua sem controle no país, segundo as autoridades israelenses, por causa de novas cepas. Desde 24 de janeiro, o único aeroporto internacional do país, Ben Gurion, está praticamente fechado para evitar a entrada dessas mutações. Sem apresentar evidências, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu afirmou que 80% dos casos em Israel atualmente vem da variante descoberta no Reino Unido.

*Com informações da EFE