Cuba mantém 671 presos políticos, denuncia entidade

No ano passado eram 134, segundo relatório divulgado pela organização Prisioners Defenders

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2021 20h33
EFE/ Yander ZamoraCentenas foram presos durante manifestações em Cuba

Cuba mantém ao menos 671 presos políticos, consideravelmente mais do que os 134 do mesmo período do ano passado, segundo a organização humanitária Prisioners Defenders (PD). A organização sediada em Madri advertiu, em relatório divulgado nesta terça-feira, 7, a idade média dos manifestantes presos é de 34 anos, abaixo do perfil demográfico de Cuba, um dos países mais envelhecidos do mundo. Desde 11 de julho, quando ocorreram os maiores protestos contra o governo em décadas, 562 pessoas foram detidas por razões políticas, disse a PD, que citou no documento a prisão do líder da oposição José Daniel Ferrer e o líder do Movimento San Isidro, Luis Manuel Otero Alcántara. A entidade também destacou pelo menos 23 casos de menores que foram processados criminalmente.

As manifestações em Cuba foram motivadas pela escassez de produtos básicos, medicamentos e longos apagões. O governo cubano, que culpa os Estados Unidos pelos protestos, diz que 62 pessoas foram julgadas e que o crime predominante é a desordem pública, embora haja também acusações de desprezo, resistência, instigação à prática de crime e danos. As penas para estas infrações variam entre três meses a um ano de prisão ou multas, de acordo com o Código Penal cubano.

*Com informações da EFE