Economia do Reino Unido sofrerá contração de 10% em 2020

O crescimento esperado para 2021 dependerá dos desdobramentos da pandemia de coronavírus e do fato da União Europeia e do Reino Unido não terem chegado a um acordo sobre o Brexit

  • Por Jovem Pan
  • 29/10/2020 13h37
EFE/EPA/FACUNDO ARRIZABALAGANo dia 19, profissionais da indústria hoteleira protestaram contra novas restrições

Nesta quinta-feira (29), o Fundo Monetário Internacional (FMI) projetou que a economia do Reino Unido deve sofrer uma contração de 10,4% em 2020. Para o ano que vem, é esperado um crescimento de 5,7%. Os dados representam uma revisão em baixa do que havia sido previsto anteriormente pelo órgão, que antes projetou recuo de 9,8% neste ano e avanço de 5,9% em 2021. O FMI reiterou, no entanto, que as projeções estão sujeitas a uma alta incerteza relacionada ao prolongado impacto da Covid-19, em sua segunda de contaminações na Europa, ao fato do Brexit continuar sem acordo.

Caso os piores cenários se confirmem, o FMI vê risco de desemprego mais persistente e estresse sobre os balanços corporativos. Por esse motivo, a instituição defende uma política monetária mais relaxada. “A política fiscal deve continuar a acomodar os custos dos programas ora em vigor, para proteger trabalhadores e empresas diretamente afetados pela pandemia”, ressalta. “Há espaço para relaxar a política monetária no curto prazo”, insiste.

*Com informações do Estadão Conteúdo