Em 2030, venda de carros movidos à gasolina será proibida no Reino Unido

O governo britânico antecipou em cinco anos o prazo para que a indústria automobilística passe a produzir e comercializar apenas veículos com baixas emissões de poluentes

  • Por Jovem Pan
  • 18/11/2020 17h42
EFE/Hannah MckayPara indústria automobilística, afetada pelo Brexit, prazo representa um desafio que dependerá da adesão dos consumidores

Nesta quarta-feira, 18, o Reino Unido antecipou para 2030 a proibição da venda de carros novos à base de combustíveis fósseis, como a gasolina e o diesel. Os veículos híbridos, por sua vez, poderão continuar sendo fabricados e comercializados só até 2035. As medidas, que foram antecipadas em cinco anos, visam eliminar esses meios de transporte poluentes antes de qualquer outra economia do mundo. Elas fazem parte de uma “revolução industrial verde” idealizada pelo primeiro-ministro Boris Johnson. Para colocar o plano em prática, o governo britânico investirá £ 12 bilhões no desenvolvimento de baterias e pontos de carregamento de veículos elétricos, além de subsídios para que os carros com emissões zero sejam mais baratos para os consumidores. A decisão também tem como objetivo ajudar o Reino Unido a se recuperar economicamente da pandemia de coronavírus: o governo espera que o setor privado triplique o seu investimento

“Embora este ano tenha tomado um caminho muito diferente daquele que esperávamos, o Reino Unido está olhando para o futuro e aproveitando a oportunidade para uma reconstrução mais verde”, disse Johnson em um comunicado. No entanto, Mike Hawes, o presidente executivo da Sociedade de Fabricantes e Comerciantes de Motores, afirmou que o novo prazo estabelece um “imenso desafio” para a indústria automobilística britânica, que teve a produção drasticamente reduzida com a crise causada pela incertezas da Covid-19 e do Brexit. “O sucesso dependerá da garantia de que os consumidores poderão pagar por essas tecnologias, que elas atenderão suas necessidades de mobilidade e, fundamentalmente, que poderão ser carregadas com a mesma facilidade com que as pessoas costumavam reabastecer seus carros”, afirmou.

Outras medidas

O Reino Unido também anunciou nesta quarta-feira, 18, que pretende quadruplicar a produção de energia eólica até 2030, além de aumentar as energias nuclear e à base de hidrogênio, melhorar o transporte público e tornar as construções mais eficientes em termos energéticos. O governo britânico também pretende ampliar os seus esforços no plantio de árvores e no desenvolvimento de tecnologias que capturem as emissões de carbono antes que elas possam prejudicar o meio ambiente.

*Com informações de agências internacionais