Em meio ao avanço da Covid-19, Portugal realiza eleição presidencial neste domingo

No entanto, aumento de casos da doença no país pode resultar na baixa participação do eleitores

  • Por Jovem Pan
  • 24/01/2021 09h36 - Atualizado em 24/01/2021 10h07
EFE/EPA/MANUEL DE ALMEIDAAo todo, são 10,8 milhões de eleitores registrados, sendo que 1,5 milhão vive no exterior

Portugal realiza neste domingo, 24, a eleição presidencial. Com sete candidatos na disputa, o presidente em exercício Marcelo Rebelo de Sousa é considerado favorito para vencer a corrida eleitoral e conquistar um segundo mandato de cinco anos. O pleito deste domingo, no entanto, pode contar com baixo comparecimento dos eleitores às urnas e levar a disputa para o segundo turno, em 14 de fevereiro, entre os dois principais candidatos.

O principal motivo para a possível baixa participação dos portugueses é o expressivo avanço da Covid-19 no país. Com sistema de saúde pública sob pressão, Portugal registra 624.469 infecções pela doença e 10.194 falecimentos em decorrência de complicações do coronavírus, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Para a votação deste domingo, Portugal ampliou o número de sessões eleitorais e permitiu a votação antecipada, medida adotada para reduzir as chances de aglomerações durante a eleição. Ao todo, são 10,8 milhões de eleitores registrados, sendo que 1,5 milhão vive no exterior. Ao longo da história política portuguesa, todos os presidentes desde 1976, quando o sufrágio universal foi introduzido após a queda de uma ditadura, foram reeleitos para um segundo mandato.

*Com Estadão Conteúdo