Em Melbourne, manisfestantes pedem pelo fim do confinamento

A região, que registrou apenas um caso de Covid-19 nas últimas 24 horas, está proibindo seus cidadãos de fazerem reuniões com mais de dez pessoas e de se afastarem mais de 25km de suas casas

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2020 11h38
AAP Image/James Ross/viaREUTERSA manifestação, que pedia o fim do lockdown, foi marcada por confronto entre a polícia e os manifestantes

Nesta sexta-feira (23), entre 200 e 300 pessoas foram às ruas de Melbourne protestar contra o confinamento que está em vigor por todo o estado de Vitória, na Austrália, há mais de três meses. A manifestação foi reprimida pela polícia local que, além de ter utilizado gás de pimenta, deteu 16 manifestantes e multou outros 61. Entre as acusações estão o não uso de máscara, o desrespeito à norma que proíbe reuniões públicas e a realização de deslocamentos maiores que 25 quilômetros da residência. Três policiais foram feridos, sendo que um deles chegou a ser encaminhado para o hospital por precaução.

O governo da região registrou apenas um único novo caso de coronavírus nas últimas 24 horas. A expectativa é que, no próximo domingo (25), haja um relaxamento das medidas mais restritivas. A cidade foi reconfinada no dia 9 de julho após uma nova onda de contágios que teria sido causada pelo descumprimento de normas nos centros de quarentena para viajantes vindos do exterior. Em agosto, o governo endureceu as medidas. A preocupação é causada pelo fato do estado de Vitória ter registrado 20 333 dos 27 466 casos de coronavírus em todo o país, além das 817 mortes do total de 905.

*Com informações da EFE