Espanha, França e Suécia registram casos da nova variante de coronavírus

Infecções provêm de cidadãos que voltaram do Reino Unido; detecção da variante causou o fechamento da fronteira da maioria dos países europeus com a Grã-Bretanha

  • Por Jovem Pan
  • 26/12/2020 10h36 - Atualizado em 26/12/2020 13h40
EFE/EPA/JULIEN DE ROSAFrança registrou o primeiro caso da variante do vírus em uma pessoa que voltou de Londres

A região de Madri confirmou quatro casos da nova cepa da Covid-19 surgida no Reino Unido e atualmente possui outros três suspeitos, nos quais o genoma do vírus está sendo sequenciado, informou neste sábado, 26, a Direção-Geral de Saúde Pública da região. De acordo com o vice-ministro da Saúde Pública de Madri, Antonio Zapatero, durante entrevista coletiva para falar sobre a evolução da situação epidemiológica na região, os casos provêm de quatro cidadãos que viajaram para o Reino Unido. Na sexta-feira, 25, a França registrou o primeiro caso da variante do vírus SARS-CoV-2 em uma pessoa que voltou de Londres no último sábado, informou o Ministério da Saúde. Holanda, Dinamarca e Suécia também confirmaram casos da nova cepa. Até o momento, a nação suíca registrou uma ocorrência da nova linhagem na região de Sörmland, após um passageiro retornar de uma viagem ao Reino Unido durante as festividades natalinas.

A nova variante detectada no Reino Unido neste mês causou o fechamento da fronteira da maioria dos países europeus com a Grã-Bretanha para impedir sua expansão. Como resultado, milhares de caminhoneiros estão esperando há dias para entrar na França vindos dos portos britânicos. Na França, o caso foi diagnosticado na cidade de Tours, no centro do país. De acordo com o Ministério da Saúde, o paciente está assintomático e bem. O cidadão francês foi examinado em um hospital na última segunda, 21, e deu positivo para a nova cepa do vírus. As autoridades têm acompanhado os contatos entre os profissionais de saúde que cuidam do paciente.

Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que não existem evidências de que a nova variação do coronavírus cause uma infecção mais grave ou afete a eficácia das vacinas já desenvolvidas. A declaração foi feita dias após a nova cepa, que tem uma transmissibilidade 70% maior, ter sido identificada no Reino Unido. De acordo com especialistas, a nova cepa não afeta as vacinas já desenvolvidas contra a Covid-19.

*Com informações da EFE