Estados Unidos afirmam que Rússia pode invadir Ucrânia ‘a qualquer momento’ 

Apesar disso, a Casa Branca também considera que um caminho diplomático pode ser seguido entre as partes

  • Por Jovem Pan
  • 06/02/2022 22h40
EFE/EPA/MICHAEL REYNOLDS Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, durante discurso Joe Biden, presidente dos EUA, está atento ao conflito entre Rússia e Ucrânia

Assessor de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan afirmou neste domingo, 6, que a Rússia pode invadir a Ucrânia “a qualquer momento”. Apesar disso, os Estados Unidos também consideram que as partes podem seguir por um caminho diplomático. “A qualquer momento, a Rússia pode tomar uma ação militar contra a Ucrânia”, disse o assessor do presidente norte-americano Joe Biden, em entrevista ao programa de TV “Fox News Sunday”. “Ou pode ser daqui a algumas semanas, ou a Rússia pode optar por seguir o caminho diplomático”, acrescentou.

Segundo o assessor estadunidense, a Rússia pretende anexar a região de Donbass, na Ucrânia. Além disso, serviços de inteligência americanos acreditam que os russos planejam tomar Kiev em cerca de 48 horas. Na entrevista à emissora local, Sullivan disse que se os russos estiverem interessados em vir à mesa de negociações, os EUA estão “preparados para vir ladeados por aliados e parceiros” para negociar. “Se a Rússia optar por um caminho diferente, estamos prontos para isso também”, complementou o assessor de Joe Biden, que, recentemente, enviou cerca de três mil soldados para o leste Europeu em meio à tensão na Ucrânia.

Apesar da tensão, a Rússia já afirmou não ter intenção de iniciar um conflito na região e estar disposta a continuar os esforços diplomáticos. Em seus primeiros comentários públicos sobre o impasse em mais de um mês, na última na terça-feira, 31, o presidente Vladimir Putin acusou os EUA e seus aliados de ignorarem as exigências de segurança central da Rússia, mas disse que Moscou está disposta a conversar mais para aliviar as tensões. Ele sugeriu que uma possível invasão russa pode não ser iminente e que pelo menos mais uma rodada de diplomacia é provável.

Ao mesmo tempo, a Ucrânia não teme ser invadida pelos vizinhos e também acredita em um desfecho diplomático. “As chances de encontrar uma solução diplomática para uma desescalada são consideravelmente maiores que a ameaça de uma nova escalada”, declarou Myhailo Podoliak, conselheiro-chefe do governo ucraniano. Através de sua conta no Twitter, o ministro-chefe das relações exteriores da Ucranânia, Dmitro Kuleba, pediu à população que não acredite em “previsões apocalípticas”. “Não acredite nas previsões apocalípticas. Capitais diferentes têm cenários diferentes, mas a Ucrânia está pronta para qualquer desenvolvimento. Hoje, a Ucrânia tem um exército forte, apoio internacional sem precedentes e a fé dos ucranianos em seu país. Este inimigo deve ter medo de nós, não de nós”, afirmou.