EUA: Lei permite professores armados na Flórida a partir de terça

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2019 12h13
Roberto Vazquez/Estadão ConteúdoOs funcionários que aderirem ao programa precisarão passar por exames de drogas, exame psicológico e realizar treinamento

Um polêmico projeto que permite que professores usem armas em escolas para responder a possíveis tiroteios entrará em vigor nesta terça-feira (1º) na Flórida, nos Estados Unidos. Onze dos 67 condados mostraram interesse de colocá-lo em prática também.

O programa Guardian foi criado após a tragédia na escola Marjory Stoneman Douglas High School, em Parkland, ocorrida em fevereiro de 2018. Na ocasião, 17 pessoas morreram – entre estudantes e professores.

Atualmente apenas funcionários especializados poderiam estar armados, ou então era necessária a contratação de seguranças, mas o Legislativo estadual ampliou a possibilidade para os professores, em projeto que teve apoio do governador da Flórida, Ron DeSantis.

Além dos 11 condados que buscam armar professores após treino junto às autoridades locais, outros 25 pretendem aderir ao programa – mas não para professores. Os funcionários que aderirem ao programa precisarão passar por exames de drogas, exame psicológico e realizar treinamento durante o total de 144 horas.

O Guardian faz parte de recomendações de segurança para escolas, projetado a partir das falhas detectadas na escola de Parkland, no norte de Miami, em que Nikolas Cruz abriu fogo com um rifle AR-15, disparando em professores e alunos.

Além de professores e outros profissionais armados, a lei aprovada em 2018 aumenta a idade mínima para adquirir uma arma, de 18 para 21 anos, e impõe um período de espera de três dias para a maioria das compras de armas de longo alcance.

*Com informações da EFE