EUA registram primeiros casos da variante sul-africana do coronavírus

Pesquisas realizadas até agora sugerem que a variante se propague até 50% mais rápido e que anticorpos naturais são menos efetivos diante dela

  • Por Jovem Pan
  • 28/01/2021 17h14 - Atualizado em 28/01/2021 17h14
EFE/Bryan R. SmithPessoas infectadas não viajaram recentemente

Os Estados Unidos registraram os primeiros dois casos da variante sul-africana do novo coronavírus. As notificações da variante B. 1351, considerada altamente transmissível, foram feitas no estado da Carolina do Sul em duas pessoas adultas que não viajaram recentemente, o que sugere que a cepa já estava em solo americano. Pesquisas realizadas até agora sugerem que a variante se propague até 50% mais rápido e que anticorpos naturais são menos efetivos diante dela. O governador do Estado, Henry McMaster, classificou a confirmação como “importante” e ressaltou que a população não precisa entrar em pânico. “Está é a informação importante que os habitantes da Carolina do Sul precisam ter, mas não é motivo de pânico”, afirmou McMaster.

Até esta quinta-feira, 28, a variante sul-africana já foi identificada em mais de 30 países. Entretanto, apenas dois casos foram registrados nos EUA até agora. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), se pronunciaram e tentaram acalmar a população. “”No momento, não temos evidência de que as infecções por esta variante causem uma doença mais grave. Assim como as variantes de Reino Unido e Brasil, os dados iniciais sugerem que esta variante pode se propagar mais fácil e rapidamente do que outras”, disseram os especialistas do Centro.

*Com informações da EFE