Europa terá vacinas contra Covid-19 a partir de março, afirma agência

Diretor-executivo da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) alerta que, mesmo após a imunização, máscaras e distanciamento social ainda serão necessários

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2020 15h53
REUTERS/Dado Ruvic/File PhotoGuido Razi diz que, se tudo correr bem, imunizantes estarão disponíveis entre março e junho de 2021

Nesta sexta-feira (16), o diretor-executivo da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), Guido Rasi, afirmou que as três primeiras vacinas aprovadas contra a Covid-19 deverão estar disponíveis para a população entre março e junho de 2021. A afirmação ocorreu durante uma entrevista para o canal de notícias italiano Sky TG24, em que ele também declarou ser quase impossível ter um imunizante pronto ainda este ano. Para ele, a campanha de vacinação deve acontecer assim que as primeiras doses forem aprovadas e que a quantidade será suficiente para vacinar a maior parte das pessoas até setembro de 2021.

Rasi pontuou, no entanto, que a campanha de vacinação será apenas o início do fim da pandemia do novo coronavírus. O italiano explicou que só será possível observar a diminuição da propagação do vírus depois de um ano da imunização e que, até lá, ainda será necessário utilizar máscara e manter o distanciamento social. Isso porque, independente dos resultados dos testes clínicos, é preciso descobrir como as fórmulas funcionam na prática, o que levará, segundo ele, pelo menos mais seis meses.

Em entrevista, o diretor-executivo comentou ainda sobre o uso de certos medicamentos no tratamento da Covid-19. Ele afirmou que existem pelo menos dois ou três remédios eficazes quando utilizados junto da cortisona e dos anticoagulantes. Ele se referiu, ainda, ao coquetel da Regeneron utilizado no tratamento do presidente Donald Trump: “agora também está mais próxima a possibilidade de começar a usar anticorpos monoclonais, que parecem ter sido utilizados pela Casa Branca“.

*Com informações da EFE