Ex-presidente da Braskem é condenado a 20 meses de prisão nos EUA por esquema de suborno na Petrobras

José Carlos Grubisich terá que pagar US$ 2,2 milhões de indenização; empresário criou fundo para desviar recursos para partidos políticos e funcionários do governo brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2021 16h47 - Atualizado em 12/10/2021 20h50
Paulo Liebert / Estadão Conteúdo José Carlos Grubisich foi condenado a 20 meses de prisão

O ex-presidente da Braskem José Carlos Grubisich foi condenado a 20 meses de prisão pela Justiça de Nova York, nos Estados Unidos, nesta terça-feira, 12, por participar de um esquema de suborno envolvendo a Odebrecht e a Petrobras. Ele terá que pagar US$ 2,2 milhões de indenização. Os promotores afirmam que Grubisich desviou cerca de US$ 250 milhões da Braskem para obter vantagens e fechar negócios. Foi criado um fundo secreto para pagar propina a funcionários do governo brasileiro e partidos políticos. Na época, a petroquímica era controlada pela Odebrecht. No início desse ano, o empresário se declarou culpado em duas acusações de corrupção por violar as leis antisuborno dos Estados Unidos. Ele admitiu o pagamento de US$ 4,3 milhões a um funcionário da Petrobras para operar uma planta. O processo tem relação com as investigações da Operação Lava Jato, com acordo de leniência fechado pela Braskem e Odebrecht com autoridades americanas e brasileiras.