CPI desiste de chamar Queiroga e quer ouvir coordenador de estudo contra ‘kit covid’

Familiares de vítimas da Covid-19 também devem comparecer; leitura do relatório final está marcada para próxima terça, 19

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2021 14h50
Edilson Rodrigues/Agência SenadoCPI da Covid-19 já se encaminha para os atos finais

A CPI da Covid-19 desistiu de pedir o depoimento do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pela terceira vez. O ministro deveria depor na próxima segunda, 18, e será substituído por um representante da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), órgão que produziu um estudo com parecer contrário ao uso do chamado ‘kit covid‘, a cesta com medicamentos como cloroquina, azimitrocina e ivermectina que determinados setores diziam ser efetivo quando tomados ainda no início da infecção por Covid-19, mas que tiveram a ineficácia comprovada. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que seria importante ouvir a Conitec antes do fim da comissão.

É provável que o ouvido seja o médico Carlos Carvalho, que coordenou o estudo, mas a oitiva dele ainda não foi aprovada – deve ser votada em sessão extraordinária da CPI na sexta, 15. A pesquisa saiu da pauta de análise do Conitec na semana passada, o que o Ministério da Saúde afirma ter feito a pedido dos próprios realizadores do estudo por causa do surgimento de novas informações sobre outros medicamentos, que precisariam ser atualizadas antes de analisadas oficialmente pelo órgão. A CPI também deve ouvir familiares de vítimas do coronavírus. O calendário da CPI prevê ainda que o relatório final seja lido na terça, 19, e votado na quarta, 20.