Exército israelense anuncia resgate de quatro reféns vivos em Gaza

Noa Argamani (25), Almog Meir Jan (21), Andrey Kozlov (27) e Shlomi Ziv (40) foram sequestrados por terroristas do Hamas no festival de música Nova em 7 de outubro

  • Por Jovem Pan
  • 08/06/2024 08h51 - Atualizado em 08/06/2024 13h46
EFE/Embaixada de Israel na Espanha Reféns do Hamas Resgatados foram sequestrados pela organização terrorista Hamas no festival de música Nova: "boas condições médicas"

O Exército de Israel anunciou neste sábado (8) o resgate de quatro reféns em dois locais do campo de refugiados de Nuseirat, na região central da Faixa de Gaza, onde tem realizado intensos ataques. Os reféns resgatados com vida são Noa Argamani, de 25 anos, Almog Meir Jan, de 21, Andrey Kozlov, de 27, e Shlomi Ziv, de 40, que foram sequestrados pelo Hamas no festival de música Nova em 7 de outubro do ano passado. “Eles estão em boas condições médicas e foram transferidos para o Centro Médico Sheba Tel-HaShome para exames médicos adicionais”, detalhou o Exército israelense em comunicado. A operação foi realizada entre as tropas do Exército, agentes do serviço de segurança Shin Bet e a força de elite Yamam em dois pontos no coração de Nuseirat, onde o governo de Gaza relatou anteriormente dezenas de mortos e feridos em um bombardeio pesado.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

“Em uma atividade operacional heroica, nossos combatentes conseguiram libertar quatro reféns do cativeiro do Hamas e devolvê-los a seus lares em Israel”, comemorou o ministro da Defesa, Yoav Gallant, que acompanhou a operação da sala de comando, que foi realizada “sob fogo pesado”. O líder da oposição, o centrista Yair Lapid, também exaltou o retorno, que ele chamou de “uma grande luz na terrível escuridão”, e parabenizou as forças de segurança pela “operação ousada e corajosa”. “É um triunfo milagroso. Agora, com a alegria que inunda Israel, o governo israelense deve se lembrar de seu compromisso de recuperar os reféns ainda em poder do Hamas: aqueles que vivem para sua reabilitação, os assassinados para seu enterro”, exigiu o Fórum de Famílias de Reféns e Sequestrados. Com esse resgate, dos 251 sequestrados em 7 de outubro, 116 cativos permanecem no enclave, pelo menos 40 deles mortos, de acordo com Israel – mais de 70, segundo com o Hamas – enquanto outros quatro reféns estão retidos há anos, incluindo dois mortos.

Desde o início da guerra, Israel e Hamas só chegaram a um acordo de trégua de uma semana no final de novembro, no qual 105 reféns foram liberados em troca de 240 prisioneiros palestinos, enquanto uma proposta está agora sobre a mesa, anunciada na semana passada pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Além disso, quatro reféns foram libertos pelo Hamas em outubro; sete foram resgatados pelo Exército; e os corpos de 20 reféns foram recuperados, três dos quais foram mortos por engano pelas tropas israelenses.

No mês passado, Israel recuperou os corpos de sete reféns em várias operações no campo de refugiados de Jabalia, a maioria deles também sequestrada no festival Nova. Na semana passada, o país confirmou a morte de quatro prisioneiros – todos homens idosos – mortos em cativeiro, embora seus corpos continuem retidos na Faixa de Gaza.

A Confederação Israelita do Brasil (CONIB) emitiu nota celebrando o resgate.
“Com imensa alegria celebramos o resgate dos quatro reféns covardemente sequestrados pelo Hamas desde 7 de outubro.
Este é um dia de grande esperança para a comunidade judaica e para nós da Confederação Israelita do Brasil (CONIB). Nos emocionamos ao ver o reencontro dos libertados com seus familiares e amigos e esperamos por mais desfechos como este. No entanto, não podemos esquecer que ainda há 120 reféns que se encontram cativos. Não vamos sossegar até que eles sejam libertados e retornem para seus familiares.”, diz o comunicado.

*Com informações de EFE

 

Comentários

Conteúdo para assinantes. Assine JP Premium.