Grécia cobrará multa mensal aos maiores de 60 anos que não se vacinarem contra a Covid-19

Idosos precisarão pagar € 100 (equivalente a R$ 632,16) se contrariarem a obrigatoriedade do imunizante; dinheiro será doado a fundo de hospitais públicos do país

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2021 11h24 - Atualizado em 30/11/2021 11h31
LEANDRO FERREIRA / FOTOARENA / ESTADÃO CONTEÚDOvacinação se tornou obrigatória para maiores de 60 anos na Grécia

O governo da Grécia anunciou nesta terça-feira, 30, que vai impor a obrigatoriedade da vacina contra a Covid-19 aos maiores de 60 anos no país a partir do dia 16 de janeiro. Após essa data, aqueles que não tiverem se imunizado precisarão pagar uma multa. “Deverão, ao menos, ter agendado uma data para obter a primeira dose da vacina. Terão máxima prioridade no sistema para serem vacinados. Caso contrário, todos os meses será imposta uma multa administrativa de 100 euros (equivalente a R$ 632,16)”, disse em conversa com o Conselho de Ministros o primeiro-ministro do país, Kyriakos Mitsotakis. Segundo ele, todo o dinheiro arrecadado com as multas será voltado a um fundo especial de financiamento de hospitais públicos.

O chefe de Estado anunciou as medidas com base na carga enfrentada pelo setor de saúde pública do país diante do aumento de internações por Covid-19, em sua maioria de pessoas que não se imunizaram. A estimativa do país é de que 520 mil habitantes na faixa etária não tomaram nenhuma dose da vacina até o momento. Outra justificativa dada pelo governo foi a manifestação da variante Ômicron, que ainda não foi registrada na Grécia, mas já ronda outros países da Europa. Testes gratuitos para detectar infecções serão distribuídos entre 6 e 12 de dezembro para identificar possíveis quadros assintomáticos do vírus antes das festas de Natal. Outra rodada deve ser entregue à população entre 3 e 7 de janeiro, monitorando, assim, possíveis novos casos registrados no período das festas. No país, o índice de pessoas com esquema completo de imunização é de 61%. Dados divulgados nesta segunda-feira, 29, mostram 104 novas mortes pela doença e 6,6 mil novos casos detectados. Do início da pandemia até agora, 18 mil pessoas do arquipélago morreram por causa da Covid-19.