Hackers russos tentaram roubar vacina contra a Covid-19, diz Reino Unido

Grupo russo que já hackeou o Partido Democrata dos Estados Unidos e o governo da Noruega é acusado pelo ataque

  • Por Jovem Pan
  • 16/07/2020 11h58 - Atualizado em 16/07/2020 12h01
EFE/EPA/RUNGROJ YONGRITSegundo governos de Reino Unido, Estados Unidos e Canadá, pesquisas de vacina contra a Covid-19 foram alvo de ataque hacker

O National Cyber Security Centre (NCSC) do Reino Unido, organização que cuida da cybersegurança no país, divulgou um documento nesta quinta-feira (16) alegando que hackers russos fizeram um ataque para tentar roubar pesquisas sobre vacinas contra a Covid-19. O órgão não revelou quais organizações foram alvo dos criminosos nem se algo de fato foi roubado, mas ressaltou que a ação não atrapalhou o desenvolvimento das vacinas. Além do NCSC, outras três agências internacionais de proteção digital emitiram o mesmo alerta sobre o caso: o Communication Security Establishment (CSE), do Canadá; a National Security Agency (NSA), dos Estados Unidos; e o Department for Homeland Security (DHS), também nos EUA.

“É completamente inaceitável que a inteligência russa esteja atacando aqueles trabalhando para combater a pandemia de coronavírus”, disse o ministro de Relações Exteriores do Reino Unido, Dominic Raab. “Enquanto outros buscam interesses egoístas, o Reino Unido e seus aliados trabalham duro para encontrar uma vacina e proteger a comunidade global”, continuou o representante do governo. Ao contrário de outros anúncios e alertas sobre ataques de hackers, o Reino Unido, Estados Unidos e Canadá fizeram questão de ressaltar que a ação foi coordenada por um grupo russo.

Segundo o documento divulgado hoje, o grupo responsável pelo ataque é conhecido como APT29, ou Cozy Bear. Eles também são acusados de hackear um comitê do partido Democrata dos Estados Unidos nas eleições presidenciais de 2016 e atacar o governo da Noruega em 2017. “O grupo usa uma variedade de ferramentas e técnicas para atacar alvos governamentais, diplomáticos, think tanks, organizações de saúde e energia para roubar inteligência”, denuncia o comunicado. As organizações de cybersegurança explicaram que o grupo está usando um malware que os próprios hackers desenvolveram para praticar as ações, conhecido como “WellMess” e “WellMail“.

A acusação vem no mesmo dia em que o governo do Reino Unido disse ser “quase certo” que hackers russos tentaram interferir nas eleições gerais no país no ano passado. Segundo o governo, eles teriam roubado documentos confidenciais sobre acordos do Reino Unido com os Estados Unidos. Essas informações foram usadas pelo Labour’s Party na campanha. O ministro Dominic Raab disse não haver evidências de um plano russo contra as eleições britânicas, indicando que a ação deve ter sido um ataque solitário, mas que “qualquer tentativa de interferir no nosso processo democrático é completamente inaceitável”.