Índia registra 95.735 casos da Covid-19 em 24 horas e bate novo recorde mundial

Com mais de 4,4 milhões de infecções, o país ocupa a segunda posição na lista das nações com mais registros da doença

  • Por Jovem Pan
  • 10/09/2020 10h59
EFE aeroporto Índia, coronavírus Enquanto os EUA, Brasil e Rússia aumentam o número de casos em uma média diária de cerca de 0,6%, a Índia aumenta para 2,1%

A Índia registrou, nesta quinta-feira, 10, 95.735 casos da Covid-19, um novo recorde mundial que foi ultrapassado quase diariamente nas últimas duas semanas. Com mais de 4,4 milhões de infecções, o país ocupa a segunda posição na lista das nações com mais registros da doença, ficando apenas atrás dos Estados Unidos, que soma 6.363.729 de ocorrências. Com um total de 4.465.863 casos, a Índia teve aumento de 2,2% nas infecções em relação à semana anterior, quando a média diária era em torno de 83 mil novas infecções. O país sua capacidade de fazer testes para o coronavírus desde o início da pandemia, e nas últimas 24 horas voltou a ultrapassar 1,1 milhão de testes (52,9 milhões no total), o que também está relacionado ao aumento da confirmação de casos.

Segundo dados do Ministério da Saúde indiano, o país também registrou 1.172 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando o total para 75.062 vítimas desde o início da pandemia. A Índia é o terceiro local com maior número de óbitos, atrás apenas dos EUA (190.815) e do Brasil (128.539), sendo responsável por quase um terço das mortes globais entre os três. Ainda assim, a taxa de mortalidade na Índia, 1,7% de acordo com a Universidade Johns Hopkins, dos EUA, está entre as mais baixas no ranking das 20 nações mais afetadas. Atualmente, o segundo país mais populoso do mundo, com quatro vezes mais habitantes que os Estados Unidos, tem uma média de 323 casos por 100 mil habitantes. No entanto, o país não tem mostrado nenhum comportamento sustentado no controle da curva de contágio e, embora seus números ainda sejam relativamente baixos, considerando sua grande população, a velocidade de disseminação ameaça fazer da Índia o epicentro da doença. Enquanto os EUA, Brasil e Rússia aumentam o número de casos em uma média diária de cerca de 0,6%, a Índia aumenta para 2,1%.

*Com Agência EFE