Indonésia: 27 pessoas continuam desaparecidas após erupção de vulcão

Segundo autoridades locais, 22 pessoas morreram até o momento, entre elas, um menino de 13 anos que morava em uma das regiões mais atingidas pelas cinzas

  • Por Jovem Pan
  • 06/12/2021 12h07
Juni Kriswanto / AFP Equipes de resgate continuam procurando por 27 pessoas após erupção de vulcão na Indonésia

O número de mortes registradas após a erupção do vulcão Semeru, no distrito de Lumajang, na ilha de Java, na Indonésia, no último sábado, 4, subiu para 22 nesta segunda-feira, 6, após o corpo de um menino de 13 anos ser retirado de escombros. Equipes de resgate continuam buscando por 27 pessoas desaparecidas e pelo menos 56 pessoas foram hospitalizadas com queimaduras. A última vez que o vulcão, também chamado de Mahameru, entrou em erupção no país foi em dezembro de 2020. Na ocasião, nenhuma pessoa morreu. Neste fim de semana, porém, uma coluna de cinzas de 12 mil metros surgiu “repentinamente” pouco antes de uma forte chuva que cobriu vilas e espalhou gás tóxico na região. De acordo com a Agência Nacional de Mitigação de Desastres, cerca de 3 mil casas e 38 escolas foram danificadas pelas cinzas.

As operações de busca foram temporariamente suspensas na parte da manhã do domingo por causa das nuvens de cinzas. Cerca de doze pessoas que ficaram presas em uma mina por conta do ocorrido foram resgatadas. Algumas casas e carros ficaram completamente enterrados e cerca de 900 pessoas tiveram que passar a noite em abrigos. Além disso, a erupção destruiu pelo menos uma ponte em Lumajang, dificultando o trabalho das equipes de resgate. As autoridades pediram aos residentes que não se aproximem a menos de 5 km da cratera por causa do ar saturado de poeira de cinzas na área. Desde a última erupção, as autoridades mantiveram o nível de alerta do vulcão no segundo nível mais alto.