Inglaterra anuncia derrubada de todas as medidas de restrição contra a Covid-19

Decisão ocorre em meio a crescimento de novos casos por causa da variante Delta da doença; governo anunciou que terá fim a obrigatoriedade de máscaras

  • Por Jovem Pan
  • 05/07/2021 14h20 - Atualizado em 05/07/2021 18h17
Will Oliver/EFEBoris Johnson anunciou medidas nesta segunda-feira

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou nesta segunda-feira, 5, que a Inglaterra terá o “Dia da Liberdade” do novo coronavírus em 19 de julho. Desta data em diante, os negócios que continuam fechados poderão abrir, a obrigatoriedade do uso de máscaras vai cair e o distanciamento social de pelo menos um metro entre as pessoas deixará de ser requisitado. A medida foi anunciada em meio a uma alta de novos casos da doença no país, algo que não foi negado pelo primeiro-ministro. “A pandemia está longe de acabar e estamos vendo os casos subirem rapidamente. Se não retomarmos a economia agora, quando iremos retomar?”, questionou o político, lembrando da chegada do verão no país. Ele reconheceu que os casos e as mortes devem subir, mas opinou que a obrigatoriedade deve dar lugar ao bom senso dos moradores. Apesar da obrigatoriedade das máscaras acabar, o governo continuará aconselhando pessoas que se reúnam em espaços lotados a se protegerem. A decisão, porém, caberá unicamente aos cidadãos.

Também nesta segunda, a ministra de Cuidados de Saúde do país, Helen Whately, falou com a imprensa local sobre o crescimento de novos casos no país. Ela lembrou, porém, que o alto número de vacinados foi um dos motivos para a confiança da reabertura comercial na região. “Há uma diferença importante agora: os casos estão continuando a crescer por um tempo, mas não estamos vendo a mesma ocorrência de hospitalizações que víamos no passado. Isso é reflexo do nosso programa de vacinações”, afirmou. A medida anunciada por Johnson vale apenas para a Inglaterra porque a Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales fizeram seus próprios cronogramas de medidas restritivas contra a Covid-19. A “volta à normalidade” no Reino Unido ocorre quase um mês após a previsão inicial do governo britânico. A princípio, todas as medidas de restrição seriam suspensas no dia 21 de junho, mas os temores de uma terceira onda diante da variante Delta e o crescimento de novos casos no país fizeram com que as autoridades prolongassem algumas barreiras sanitárias.

Um boletim diário divulgado nesta segunda-feira, 5, mostra que o país teve 27,3 mil novas infecções nas últimas 24 horas e um aumento de 53,2% de casos nesta semana em relação à semana anterior. O número de mortes, que foi de 9 neste domingo e 128 nos últimos sete dias, subiu 4,9% e o número de novas internações, que foi de 1,9 mil na última semana, mostrou um crescimento de 24,2%. O país, considerado como um dos primeiros no mundo a iniciar a imunização contra a doença, tem 86,1% da população adulta vacinada com pelo menos a primeira dose e 64% com as duas doses. Desde o início da pandemia, 4,9 milhões de pessoas foram infectadas com a Covid-19 no Reino Unido. Dessas, 128 mil morreram.