Maduro critica ‘golpismo’ e diz que ‘patriotas vencerão a violência’

  • Por Jovem Pan
  • 01/05/2019 17h42
EFEMaduro publicou no Twitter críticas ao movimento oposicionista liderado por Juan Guaidó

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, publicou no Twitter nesta quarta-feira (1) críticas ao movimento oposicionista liderado por Juan Guaidó. Ele disse que a “intervenção, o golpismo e o enfrentamento armado não são o caminho para a nossa amada Venezuela” e que a “rota para diminuir as diferenças será sempre a constitucionalidade e o respeito mútuo. Os patriotas vencerão a violência e ganharemos a paz”.

Maduro também postou um vídeo da marcha da Classe Operária que, segundo ele, foi uma manifestação “de alegria” nas ruas de Caracas. “Sem dúvidas ganhamos a paz graças a dignidade e a consciência do nosso povo”, escreveu.

Maduro afirmou ainda que, há 12 anos, a Venezuela “recuperou a soberania de seus recursos energéticos”, após a decisão do ex-presidente Hugo Chávez de nacionalizar a Faixa Petrolífera do Orinoco. “A mesma que hoje o império desesperadamente pretende tirar do povo venezuelano. Não voltarão!”, afirmou ele pelo Twitter.

Em outro ponto de Caracas, o líder do partido Socialista Diosdado Cabello, aliado de Maduro, disse em comício a favor do presidente que as forças armadas da Venezuela permanecem unidas, a despeito dos chamados da oposição para que se voltem contra o governo. Cabello afirmou que os militares resistiram “como um bloco”, com algumas exceções. Declarou ainda que os líderes da oposição estão “andando como zumbis” depois de não conseguirem provocar a insurreição generalizada instigada por Guaidó.

Sobre as manifestações

Centenas de venezuelanos tomaram as ruas de Caracas na terça (30) para mostrar apoio a Guaidó e aos militares que se rebelaram contra o governo de Maduro. Guaidó anunciou que “a família militar deu o passo, uma vez por todas” para se unir à oposição. Os confrontos entre civis e militares seguem nesta quarta-feira (1) marcados pela violência de tiros de arma de chumbo e bombas de gás lacrimogênio. Um dos momentos mais emblemáticos dos conflitos até agora foi a passagem de um tanque do Exército nesta terça-feira por cima de manifestantes.

* Com informações do Estadão Conteúdo